domingo, 31 de outubro de 2010

Ildemar sofre derrota acachapante na eleição presidencial em Açailândia

A dois dias da eleição Ildemar demitiu centenas de funcionários da Saúde de Açailândia. Pelo visto não estava nem ai para eleição do colega tucano José Serra. Eita prefeito traíra!!!

Ildemar pronta Apurados cerca de 70% dos votos nos três principais colégios eleitorais adminsitrados por tucanos no Maranhão, a candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, impõe forte derrota sobre o candidato do PSDB, José Serra.

Na capital maranhense, São Luís, apurados 73,32% dos votos, Dilma tem 78,o7% dos votos válidos, contra 21,93% dados a Serra.

A cidade tem como prefeito João castelo (PSDB), que assumiu para si a responsabilidade de garantir boa votação a Serra.

Em Imperatriz já são 97,94% dos votos apurados. Dilma vence com 52,02% contra 47,98%. A cidade tem como prefeito outro ícone do serrismo no Maranhão, Sebastião Madeira (PSDB).

Dilma Rousseff vence também em Açailândia, onde já foram apurados 82,19% dos votos. A candidata do PT tem 65,76% contra 34,24% de Serra.

Açailândia tem como prefeito o tucano Ildemar Gonçalves e faltando dois dias para eleição demitiu centenas de servidores públicos que prestavam serviços a saúde do município. Quem tem Ildemar como aliado, pelo visto, não precisa de inimigos.

Informações do Blog Marcos D’Eça.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ligações Perigosas: Ildemar contrata pessoas presas pela PF para gerir RH de Açailândia e poderá também ser investigado.

Ildemar pronta Açailândia – Os novos donos do RH de Açailândia Almir Costa Lima e Seléucia Oliveira Rodrigues Lima (Seleuza) proprietários da ASTECON, ganhadores da licitação sigiolosa que garante a empresa o direito de gerir todo mês mais de 5 milhões de reais da folha de pagamento dos funcionários públicos de Açailândia, estão instalados em um suntuosos escritório na área mais nobre de São Luis. Os dois foram presos pela Polícia Federal na operação Rapina em 2007 acusados de fraudar licitações em pelo menos 09 municípios maranhenses – na época suspeitava-se que havia pessoas de Açailândia ou que prestavam serviços para o município, de envolvimento nas fraudes, mas Ildemar passou “panos quentes” e calou mais uma vez a boca da imprensa e tudo ficou na obscuridade. Agora Ildemar também poderá virar, finalmente, alvo de investigações da Polícia Federal.

O suntuoso escritório fica localizado no 9º andar do edifício Planta Tower, Bairro Renascença, na área mais nobre da capital do Estado. Lá também é feita a mais de 04 anos, toda a contabilidade da Secretaria de Educação do município, ou seja, em toda a gestão do ex-secretário Sergiomar Santos, sobrinho do prefeito Ildemar, que está sendo preparado para sucedê-lo na prefeitura de Açailândia. Sergiomar depois de todos os desmandos praticados na educação, agora irá se esbaldar com os gordos recursos que chegam todo mês na secretaria de saúde – a pergunta que fica é: “será que a ida de Sergiomar para Saúde substituindo o “incompetente, laranja e menino de recado de Ildemar” Juliano Roldi, é para fazer “caixa” para campanha de 2012”?

Voltando ao assunto principal, vamos conhecer quem é a famosa “SELEUZA” ou melhor, Seléucia Oliveira Rodrigues, que também teria um filho, advogado, como servidor da secretaria de educação de Açailândia. Nos post´s anteriores deste Blog falei da fortíssima ligação dela [Seleuza] com o alto escalão do prefeito Ildemar Gonçalves (PSDB). Então vamos aos fatos: “Seleuza teria sido infiltrada na prefeitura de Açailândia através do braço direito de Ildemar, na época procurador do município, Dr. Franco Kiomitsu Suzuki. O advogado além de amigo de longas datas de Ildemar tem o poder de decisão sobre todos os recursos que entram em todas as secretarias do município, além de responsável por todas as decisões tomadas por Ildemar no âmbito particular e administrativo.

O poder de Franco Suzuki dentro da prefeitura, que só perde para a força do filho de Ildemar Ulisses Gonçalves, é tão grande que se estende até à câmara municipal de Açailândia – o presidente da casa que também é sobrinho do prefeito, foi obrigado a contratar Franco Suzuki como assessor jurídico da câmara, sem que Suzuki tenha jamais pisado nas dependências do poder legislativo municipal, portanto é um “servidor fantastama”. No dia 05 de janeiro deste ano, Hélio Santos publicou no Diário Oficial do Estado termo aditivo de contrato em favor de Suzuki que lhe garante poderes de consultoria, assessoria, pareceres, defesas, memoriais, sustentações orais e outros tantos serviços pelo período de janeiro a dezembro de 2010, ou seja, todos os poderes jurídicos sobre a câmara municipal de Açailândia.

O Blog já fez a sua parte e está entregando de bandeija o fio da meada ao Ministério Público, basta agora a ação dos nosssos homens e mulheres da Lei.

Mas já que pelo visto preferem permanecer em suas zonas de conforto, poderiam pelo menos solicitar uma visita ao município da Controladoria Geral da União (CGU), muita coisa podre iria aparecer!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Assembleia aprova realização de concurso público no MA

roseananova1 SÃO LUÍS - A Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira (26), duas mensagens encaminhadas pelo governo do Estado. Uma delas é a realização de concursos públicos para cargos no DETRAN, Secretaria de Administração e Previdência Social e Secretaria de Planejamento e Orçamento.

Na Secretaria de Administração e Previdência Social, foram criados os cargos de analista previdenciário (20 vagas – para graduados em direito, economia e contábeis), técnico previdenciário (20 vagas – para nível médio) e perito médico (05 vagas – para graduados em medicina). A remuneração para os cargos varia de R$ 1.650,00 à R$ 4.921,00.

No DETRAN, foram criados os cargos de analista de trânsito (60 vagas – para nível superior) e assistente de trânsito (490 vagas – para nível médio). A remuneração está entre R$ 1.400,00 à R$ 3.771,00.

Na Secretaria de Planejamento e Orçamento, todos os cargos criados foram para nível superior. São 25 vagas para especialista em políticas públicas e gestão governamental, outras 25 vagas para analista de planejamento e orçamento e 10 vagas para analista de finanças e controle. A remuneração vai de R$ 4.200,oo à R$ 8.027,17

CNT/Sensus também mostra vitória de Dilma. A diferença já chega a 17,20%

São Paulo – Pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta quarta-feira (27) mostra a candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, com 58,6% dos votos válidos contra 41,4% do tucano José Serra.

clip_image001O levantamento mostra aumento da vantagem da petista em mais de 10 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, realizada nos dias 18 e 19 deste mês. Antes, Dilma tinha 52,8% dos votos válidos contra 47,2% de Serra: vantagem de 5,6 pontos percentuais. Agora, a diferença entre os dois chega a 17,2 pontos percentuais.

Os votos válidos desconsideram brancos e nulos, que somaram 4,7% dos 2 mil eleitores entrevistados entre os dias 23 e 25, e indecisos, que somaram 6,8%.

Considerando-se os votos totais, Dilma tem 51,9% e Serra, 36,7%. Na pesquisa anterior, divulgada semana passada, a petista tinha 46,8% contra 41,8% do tucano.

A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no TSE sob o número 37609/2010.

Rejeição

O índice de rejeição à candidata petista que era de 35,2% na pesquisa anterior, caiu para 32,5%. Serra tinha rejeição de 39,8% e agora atinge seu recorde da pesquisa CNT/Sensus, com 43%. Para o instituto, rejeições acima de 40% seriam indicativos de derrota do candidato.

Na análise do instituto, a troca mútua de acusações entre os candidatos faz o eleitor voltar seu interesse novamente para os aspectos econômicos, onde a petista levaria vantagem.

Caso RH de Açailândia

Açailândia – Novidades envolvendo o prefeito Ildemar, seu alto escalão e os novos donos do Departamento de Recursos Humanos de Açailândia. Seléucia é mais conhecida nos bastidores da Prefeitura como “SELEUZA” e tem ligações fortíssimas com peixes grandes da patota de Ildemar, inclusive o ex-secretário de educação do município.

Aguarde mais detalhes!!!

Nova Pesquisa: Dilma Mantém 14% de vantagem e Serra cai em quase todas as regiões.

O Datafolha divulgou na noite desta terça-feira (26) mais uma pesquisa de intenção de voto para a Presidência da República. Na média nacional, segundo o levantamento, a candidata petista Dilma Rousseff tem 56% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 44% do tucano José Serra, mesmos índices que os dois candidatos obtiveram no último levantamento, do dia 21 de outubro.

Nos votos totais (que contam brancos, nulos e indecisos), a petista tem 49%, e o tucano, 38%. Em branco, nulo e nenhum somaram 5%, não sabe, 8%. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 50%, e Serra, 40%. Brancos, nulos e nenhum eram 4%, não sabe somavam 6%.

Eleitorado masculino e feminino

Entre os homens, Dilma foi de 55% das intenções de votos totais do levantamento anterior para 53% agora. Serra passou de 38% da pesquisa do último dia 21 para 37% no levantamento desta terça. Entre as mulheres, Dilma passou de 45% para 46%, e Serra, de 41% para 39%.

Por região

No Norte/Centro-Oeste, Dilma foi de 49% dos votos totais, apurados no levantamento de 21 de outubro, para 47%, e Serra foi de 42% da pesquisa anterior para 43%.

No Sudeste, Dilma manteve no levantamento desta terça o índice de 44% obtido na pesquisa anterior. Serra foi de 43% para 40%.

No Sul, Dilma foi de 39% para 41%; novamente, Serra passou de 50% para 48%, de acordo com o Datafolha.

No Nordeste, Dilma passou de 65% para 64%; Serra foi de 28% para 27%.

Sobre a pesquisa

Realizado nesta terça, o levantamento do Datafolha ouviu 4.066 pessoas em 246 municípios e tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Segundo o instituto, a candidata do PT, Dilma Rousseff, tem 56% dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), e o candidato do PSDB, José Serra, 44%. Pela margem de erro, Dilma pode ter de 54% a 58%, e Serra, de 42% a 46%.

Considerando-se os votos totais (que incluem brancos, nulos e indecisos), a petista tem 49%, e o tucano, 38%. Brancos e nulos somam 5%, e 8% disseram não saber em quem votar. Na pesquisa anterior, Dilma registrou 50%, e Serra, 40%. Brancos e nulos somaram 4%, e indecisos, 6%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 37404/2010.

Governo Lula

O Datafolha também avaliou o governo Lula. A pesquisa apontou, pela terceira semana consecutiva, um patamar recorde de aprovação. Avaliaram a administração como ótima ou boa 83% dos eleitores. Os que consideram seu governo regular são 13%, enquanto 3% dizem que ele é ruim ou péssimo.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Baixarias: “Se eleitor assistir a mais um debate, desiste de votar e vai pescar”

Na Record, DilmaXSerra lembrou o reality ‘A Fazenda’

O penúltimo debate presidencial começou atrasado. Quem sintonizou a Record na hora marcada, onze da noite, deu de cara com ‘A Fazenda’. Quem esperou talvez não tenha se dado conta, mas as diferenças entre um programa e outro foram sibilinas.

Dilma Rousseff e José Serra portaram-se como personagens do reality show que os precedeu, uma espécie de versão rural do Big Brother, da Globo. Confinados na campanha há quatro meses, como que anteciparam os movimentos um do outro.

A sequência de nove debates –serão dez até o final de semana— deixou-os calejados. Dizem que são sinceros. Mas quem os vê sente-se tentado a lançar mão de um jargão comum aos espetáculos do gênero: Eles estão jogando.

A isso foram resumidos os debates: um grande jogo, um reality eleitoral. Com uma diferença: em vez de entreter, o show aborrece a platéia. Os contendores recorreram a todos os estratagemas para atingir seus subterfúgios.

Procuraram não parecer o que são. Afinal, o outro pode não ser o que parece. Ou pior: pode ser e parecer. Em desvantagem no jogo, Serra lançou uma primeira casca de banana. Perguntou sobre os planos da rival para “banda larga”.

Sem pressentir que o alvo do contendor era outro, Dilma respondeu que a internet rápida já chegou a 65% das escolas. O acesso só não é maior porque São Paulo não aderiu ao programa, acusou.

Na réplica, Serra mostrou a garra: “O problema da candidata é de gestão”. Afirmou que o plano de banda larga, costurado na Casa Civil, é ruim. “Quem lançou o projeto mal feito foi a Erenice, que, aliás, hoje depôs na PF sobre seus malfeitos”.

Serra não queria falar de internet. Queria mesmo era devolver a “braço direito” de Dilma aos holofotes. O problema é que, a essa altura do jogo, a rival já desenvolveu antídotos contra o veneno. Para o Erenicegate, o remédio é o Dersagate.

“Hoje, a seis dias da eleição, de fato, a Erenice depôs. O que dizer de Paulo Preto, que não só não depõe, mas quando ele ameaça vocês escondem?” E Serra: “Esse assunto é fantasioso. Você fala para dar a ideia de que é todo mundo igual na política. Não é não!”

Como nas brigas travadas à beira da piscina da casa da Globo ou na roça da versão agreste da Record, Serra tratou de adensar a lama. Citou “um fulano chamado Valter Cardeal”, homem de “confiança” da antagonista no setor elétrico. “Deu vários golpes, mas a Dilma continua defendendo ele”.

Serra prosseguiu: “A Dilma foi testemunha de defesa do José Dirceu, apontado como chefe de quadrilha. Foi lá [no STF], como testemunha de defesa, fez uma fala carinhosa, empolgante sobre a moralidade do José Dirceu”.

Hora de Serra perguntar. Ele escolhe seu tema predileto: saúde. “Andou pra trás”, ele martela. “Qual a sua proposta... Não o trololó, proposta concreta”. Dilma assume o controle do balde de lodo:

“O Serra, presssionado, inventa trololó, gosta de enrolar. É importante que reponda pelo sr. Paulo Preto. É braço direito e esquerdo. Se duvidar, é a cabeça também”. A candidata torrou o seu tempo com o Dersagate.

Mencionou a flexibilização dos contratos que permitiu às empreiteiras usar material mais barato nas obras. Citou a queda de três vigas num viaduto do Rodoanel. “Um dos motivos dos motivos levantados é o uso de material de baixa qualidade”. Laudos técnicos afastaram a suspeita. Mas quem se importa? É o jogo.

Sem a participação de jornalistas, o debate não teve perguntas, mas pegadinhas. Tachado de privatista, Serra trouxe a vacina de casa. Acusam-no de defender para o pré-sal o modelo que concede às empresas multinacionais a exploração das jazidas.

“Se isso é privatização, a Dilma fez mais”, atacou. Como presidente do conselho de administração da estatal petroleira, disse Serra, “a Dilma entregou a exploração de petróleo a 108 empresas privadas, metade estrangeiras”.

E Dilma: “Você está fazendo, de novo, deliberada enrolação”. Descoberto o “bilhete premiado” do pré-sal, ela alegou, suspenderam-se os contratos e modificou-se o modelo. A coisa seguiu nessa diapasão até o final.

Dilma provocou: “Você ficou caladinho quando mudanram nome para Petrobrax, substituindo o Bras de Brasil”. Serra crispou-se: “A Dilma fala que minto, mas ela é profissional nessa arte”. Explicou que, sugerida por um direito, a troca de logomarca, foi recusada pelo governo FHC.

Em duas oportunidades, Dilma martelou: Sob Lula, criaram-se 15 milhoes de empregos, contra 5 milhões da era FHC. No debate anterior, Serra silenciara. Agora, já desenvolveu uma vacina que, se não imuniza, confunde.

Alegou: O que aumentou não foi o número de carteiras assinadas, mas a fiscalização. Graças, aliás, à unificação da Receita com a Previdência, apoiada pelo PSDB. As insinuações avolumaram-se. “Você não conhece o Nordeste”, disse Dilma a certa altura. “O PAC é uma lista de obras”, fustigou Serra noutro instante.

Acusaram-se um ao outro, várias vezes, de mentirosos. Serra: Você ora defende o aborto ora diz que é contra. Num instante diz que não vestirá o boné do MST, noutro leva o artefato à cabeça. Dilma queixou-se do baixo nível. E foi à canela. Em matéria de mentira, disse ela, Serra é imbatível.

Citou o documento que o oponente assinara, comprometendo-se a cumprir o mandato de prefeito de São Paulo até o final. “Registrou em cartório, depois rasgou”. Registro cartorial não há. Mas o papel, de fato, existe. Serra mudou de assunto.

Para desassossego dos telespectadores, ainda há um debate antes do paredão de domingo (31). Há um imenso leque de assuntos por discutir. Mas os candidatos não parecem dispostos a falar sério. Eles estão jogando... Lama um no outro.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Exclusivo: Ildemar entrega RH da prefeitura de Açailândia nas mãos de acusados de fraudar licitações em nove municípios do Maranhão.

PREFEitura2 (2) Açailândia - Almir Costa Lima e Seléucia Oliveira Rodrigues Lima proprietários da empresa ASTECON, segundo informações, seriam os responsáveis pelo resultado da auditoria que teria constatado uma verdadeira roubalheira no RH da prefeitura de Açailândia, através de uma folha de pagamento paralela na ordem de mais de 80 mil reais por mês.

Os dois empresários que seriam ligados ao alto escalão de Ildemar, foram presos pela Polícia Federal na Operação Rapina deflagrada em dezembro de 2007 por desvio de dinheiro público e agora, com o mesmo “dedo sujo”, apontam irregularidades cometidas supostamente por uma única servidora (Ex- Chefe do RH), quando se tem também informações fidedignas de que trata-se de uma quadrilha composta por mais de 15 pessoas.

Ildemar pronta Depois de quase dois anos que tomou conhecimento do desvio de dinheiro dos cofres da prefeitura de Açailândia só agora Ildemar resolveu, primeiro encontrar um bode expiatório, para em seguida colocar, literalmente, “raposa cuidando de galinheiro”, ou seja, acusados e presos por desvio de dinheiro público investigando e apontanto culpados pela dilapidação do erário público no setor de RH que é responsável por gerir, todos os meses, mais de 5 milhões de reais.

A reportagem de de Itevaldo Júnior  e Waldirene de Oliveira para O Estado do Maranhão revelou em dezembro 2007 um mega esquema de desvio de dinheiro público descoberto pela Controladoria Geral da União (CGU) em nove prefeituras do Maranhão - desmontado pela Polícia Federal na Operação Rapina, o esquema era comandado pelos donos dos escritórios de contabilidade Ecoplan-Emplan e Conpub.

"Os chefes da quadrilha eram os contadores. Eles montavam todos os processos das licitações fraudulentas", foi o que declarou na época o superintendente da PF, Gustavo Gominho, ao divulgar os nomes dos 102 presos na Operação Rapina.

Entre os envolvidos no esquema e que também foram presos pela Polícia Federal na Operação Rapina são Almir Costa Lima e Seléucia Oliveira Rodrigues Lima, proprietários da empresa Astecon que na surdina supostamente teria vencido o processo licitatório que garantiu o direito de auditar, fazer trabalho de consultoria e administrar o Departamento de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Açailândia.

O Processo de passagem do comando do RH para ASTECON ainda está em andamento e ainda pode na calada da noite mudar de mãos, ou somente haver uma troca de “Testas de Ferro”, como é muito comum nesta administração, mas como o objetivo deste Blog é tão somente alertar as autoridades que preferem “Deitar em Berço Esplêndido” e deixar todo erário público descer pelo ralo, cumpre-se o seu papel.

É muito simples, basta o Ministério Público exigir que o prefeito Ildemar apresente o resultado da auditoria efetuada no Departamento de Recursos Humanos da prefeitura de Açailândia.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos!!! Esta Novela pode terminar em final feliz – tomara que seja para a população sofrida de Açailândia.

Funcionários do Sine no Estado participam de seminário

Maria Diva Leite Neves, coordenadora do Sine em Açailândia disse, que este tipo de seminário é muito importante para atender a demanda de empregos que estão surgindo em toda a região no entorno do município.

P1090289 O Sine é um serviço do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), coordenado, no Maranhão, pela Setres, que realiza a intermediação de mão de obra, criando as condições para a inserção de trabalhadores no mercado. Somente na capita, a agência do Sine tem média de 500 atendimentos por dia.

Nesta segunda-feira (25), a partir das 14h, os funcionários do atendimento a trabalhadores das agências de trabalho do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de todo o Maranhão participam do Seminário para Excelência em Atendimento, com foco na sensibilização para integração de equipes. No Estado, as agências do Sine no Maranhão são gerenciadas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Economia Solidária (Setres). O seminário ocorre no Hotel Calhau, na avenida Litorânea, em São Luís.

A proposta, com a realização do seminário, é fazer com que a qualidade do atendimento seja aprimorada. Participam do seminário funcionários das agências de São Luís, São José de Ribamar, Santa Inês, Codó, Bacabal, Imperatriz, Barra do Corda, Balsas, Caxias e Açailândia. Estarão presentes no evento, o secretário de Trabalho e Economia Solidária, José Antônio Heluy, e o mestre em Administração e professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Anderson Miranda, que vai ministra a palestra de abertura do seminário.

Bomba!!! Bomba!!! Bomba!!!

Ildemar pronta Açailândia – Novos escândalos envolvendo o prefeito Ildemar e o Recursos Humanos da prefeitura de Açailândia. A chefe do RH foi afastada e está sendo acusada de desvio de dinheiro público através de uma suposta folha de pagamento paralela na ordem de mais de 80 mil reais mensal. O blog teve acesso a informações de que pelo menos 15 pessoas estariam envolvidas na fraude; e o prefeito teve conhecimento de toda a robalheira a mais de 1 ano e meio, mas só agora resolveu tomar uma atitude jogando toda a culpa nas costas de uma única servidora.

Para piorar a situação Ildemar agora também resolveu terceirizar o RH, e você sabe pra quem está sendo entregue o Recursos Humanos da Prefeitura de Açailândia?

Aguardem novas informações bombásticas. Os escândalos são escabrosos!

Atenção Ministério Público a coisa virou bagunça geral!!!

domingo, 24 de outubro de 2010

Bolinha de Papel: TSE nega recurso de Serra

charge-serra-tonto-2 Brasília – O ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou ontem pedido de liminar requerido pelos advogados da coligação “O Brasil Pode Mais” e o candidato José Serra, em representação protocolada hoje (22) na Corte, impugnando vídeo exibido pela coligação adversária (“Para o Brasil Seguir Mudando”) e sua candidata, Dilma Rousseff, na última quinta-feira (21), na modalidade bloco de televisão, horário noturno (20h30).

O referido vídeo afirma que Serra simulou ter sofrido agressão física por militantes do Partido dos Trabalhadores na última quarta-feira (20), durante caminhada no Rio de Janeiro (RJ). O fato ocorreu quando o candidato e seus correligionários encontraram um grupo de militantes do PT, no calçadão de Campo Grande, Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Na ocasião, conforme divulgado pela mídia, houve confronto entre os dois grupos, e Serra teria sido atingido por objetos lançados supostamente pelos petistas.

Na representação protocolada junto ao TSE, os advogados de Serra questionam a propagando apresentada e pedem o tempo de 1m16s para responder ao vídeo e concessão de liminar para suspender sua exibição.

Decisão

Na decisão, Henrique Neves examinou apenas o pedido de liminar. “Após ler os documentos que instruem a inicial e assistir o programa impugnado, não vislumbro, neste momento, a presença dos pressupostos para a concessão da medida liminar requerida”, avaliou o ministro.

A coligação aponta na representação divergência entre imagens exibidas na televisão. Entretanto, de acordo com Henrique Neves, “as emissoras não são parte da presente representação e o objeto do pedido de resposta é restrito ao que contido no programa eleitoral em bloco das representadas, exibido na noite do dia 21”.

Controvérsia

Para Henrique Neves, “a controvérsia sobre os fatos, ou ao menos, sobre a interpretação que a eles é emprestada pelos órgãos de imprensa e pelos candidatos não permite que, neste primeiro exame, sejam os mesmos considerados sabidamente inverídicos, o que não significa reconhecê-los como verdadeiros, pois dependem do exame das provas e versões apresentadas, a ser feito no momento do exame do mérito da representação, garantindo-se, assim, que a defesa seja exercida”.

Em sua decisão, o ministro manda notificar os representados (a candidata Dilma e sua coligação) a respeito dos pedidos, para que possam apresentar defesa, e solicita a manifestação do Ministério Público Eleitoral sobre o caso, para posterior julgamento do mérito – direito de resposta.

Estão se multiplicando na internet vídeos mostrando uma farsa na matéria do Jornal Nacional onde é afirmado que Serra foi atingido por dois objetos: primeiro a bolinha de papel e depois um rolo de fita crepe.

Veja:

Doença misteriosa mata o terceiro Irmão Figueiredo em intervalo de poucos dias, em Açailândia.

Açailândia - Faleceu ontem o terceiro irmão Figueiredo com os mesmos sintomas que os outros dois irmãos, o primeiro faleceu em 7 de agosto o segundo irmão faleceu dia 15 de outubro e agora o terceiro faleceu dia 22 de outubro. É preciso que as autoridades de saúde em Açailândia se mobilizem afim de identificar a doença, seu agente causador e forma de transmissão a fim de proteger a população de uma possível endemia.

Entenda o caso

Foi enterrado na manhã do último domingo (17) no cemitério Campo da saclip_image002udade, o corpo do pecuarista Ivan Figueiredo Bom Jardim, 43 anos, sob forte comoção dos familiares e dos amigos. Ivan faleceu no último dia 15, em Goiânia (GO), quando estava fazendo exames no Instituto Neurológico de Goiânia, depois de ficar por 24 horas numa Unidade Intensiva de Tratamento (UTI).

De acordo com informações da família, Ivan Figueiredo, um dia antes da eleição sentiu forte dor de cabeça, razão porque foi encaminhado para uma clínica especializada aonde realizou um eletrocefalograma.

Em virtude da continuidade da doença, foi encaminhado para Goiânia, onde recebeu toda assistência necessária, porém não resistiu vindo a falecer. A equipe médica desconfia que o pecuarista tenha adquirido uma bactéria rara super resistente a qualquer tipo de antibiótico, que causou sua morte.

O irmão de Ivan, o também pecuarista Wanderley Figueiredo morreu no dia 7 de agosto de 1997, portanto, a 13 anos atrás, de uma doença que, segundo a família, também foi misteriosa, porque não houve uma explicação dos médicos.

Ivan era filho do casal Maria das Dores e Valter Figueiredo. Chegou ao Maranhão com apenas dois anos de idade, e se considerava um verdadeiro açailandense. Era casado há 19 anos com Aiane Barreto Figueiredo com quem tinha dois filhos: Sabina Barreto Figueiredo, de 18 anos, e João Pedro Barreto Figueiredo, que fica órfão de pai aos 9 anos de idade.

Fonte: Portal Ma

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Joguinho: acerte Serra com bolinha de papel

Baseado na farsa e mentira descarada produzida ontem pela equipe de publicidade do candidato José Serra (PSDB), foi criado um jogo online que permite que qualquer um acerte a cabeça do tucanoo com uma bolinha de papel.

O jogador precisa mirar a cabeça de Serra, que se esconde atrás da bancada do Jornal Nacional e coloca a mão na cabeça logo depois de ser atingido. Clique aqui para jogar bolinha de papel.

(Os Amigos do Presidente Lula).

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

José Serra, ator ou à-toa?

Candidato tucano é atingido por uma bola de papel e faz o maior teatro; chegou até fazer uma tomografia computadorizada – que descarado!

Açailândia – Se dependesse somente da cobertura da Globo, o incidente envolvendo militantes petistas e tucanos na tarde de ontem (20) no Rio de Janeiro, o povo brasileiro iria imaginar que o que caiu sobre a cabeça de Serra teria sido um verdadeiro Míssil de guerra.

Graças ao SBT toda a verdade veio à tona, e o que levou ao candidato José Serra a fazer uma tomografia computadorizada foi simplesmente uma “bola de papel”, como você pode ver no vídeo abaixo.

A máscara de Serra cai definitivamente por terra e nos leva a crer que como aconteceu na eleição de Lula aonde a “Esperança venceu o Medo”, desta feita a “verdade real vai vencer as mentiras de Serra.

Veja a palhaçada de Serra:

Com um tiro de arma calibre 12 , crânio de Agente de saúde é esfacelado

Na madrugada desta quinta-feira, 21, nas confluências das ruas Benjamim Constant e D. Pedro I, no centro de Açailândia, um bárbaro crime vitimou Rauricio Oliveira Leite, 29 anos, residente na Rua 20 de outubro Bairro Jacu.

O bárbaro assassinato, pelas proporções dos ferimentos, foi praticado por uma arma de grosso calibre, possivelmente uma espingarda 12 cano cerrado, ou uma escopeta, que dilacerou o crânio da vítima, espalhando a massa encefálica por todo o interior do veículo gol, que estava sendo dirigido pela vítima.

Rauricio Leite que era natural de Barra do Corda/MA, casado, dirigia seu veículo gol placa HPL-1517- Açailândia - MA, nas primeiras horas da madrugada desta quinta-feira, direcionando-se para sua residência no bairro do Jacu, quando foi abordado, segundo investigações preliminares empreendidas pelas autoridades policiais, por pessoas conhecidas, recebendo o disparo fatal a queima roupa, tendo morte instantânea.

O que deixou perplexo, tanto os policiais, quanto à população e a imprensa presentes, foi a brutalidade do crime. Deixando todo o interior do veículo, com restos de massa encefálica, além de desfigurar por completo o crânio da vítima.

Fonte : Portal MA

Quanto mais a Globo puxa o saco de Serra, mais Dilma Cresce!!!

Ibope confirma vantagem de 12% da candidata de Lula sobre o Tucano das privatizações candidato a Santo.

Brasília – Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (20) aponta a candidata do PT, Dilma Rousseff, com 56% dos votos válidos para presidente da República. O adversário da petista no segundo turno, José Serra (PSDB), aparece com 44%, segundo o instituto.

Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, Dilma pode ter entre 54% e 58% e Serra, entre 42% e 46%. O critério de votos válidos exclui as intenções de voto em branco e nulo e os indecisos.

Na pesquisa anterior do Ibope, divulgada no último dia 13, Dilma aparecia com 53% dos votos válidos, e Serra com 47%.

A pesquisa ouviu 3.010 eleitores, de 18 a 20 de outubro. Encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de protocolo 36476/2010.

Votos totais

Pelo critério de votos totais (que incluem no cálculo brancos, nulos e indecisos), Dilma Rousseff soma 51% das intenções de voto, e José Serra, 40%.

De acordo com o Ibope, as intenções de voto em branco e nulos acumulam 5%. Os eleitores que disseram não saber em quem vão votar são 4%.

Nos votos totais da pesquisa anterior do Ibope, do último dia 13, Dilma tinha 49%, e Serra, 43%. Brancos e nulos eram 5%, e indecisos, 3%.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Em campanha todo mundo vira santo!!!

Candidatos do “Pau Oco”!

Humberto

Serra, um religioso exemplar! Será?

O candidato soa como postulante a bispo, não a presidente.

Um dia depois de Dilma Rousseff, foi ao Jornal Nacional, na noite passada, José Serra.

A melhor maneira de entender o rumo da campanha de José Serra é observar as perguntas que lhe são dirigidas.

Serra foi ao “Jornal Nacional” num instante em que o noticiário está ensopado de apreensões ligadas ao comportamento do câmbio.

Economista, o candidato talvez tivesse muito a dizer sobre a matéria. Mas a cotação do Real frente ao dólar não fez parte da pauta.

Serra foi inquirido sobre um tema que ajudou a converter em tópico dominante da cena sucessória de 2010: a fusão entre religião e política.

A mistura não deveria ser evitada? Em desarmonia com os fatos, Serra disse não ter explorado o tema. Atribuiu o fenômeno à rival Dilma Rousseff e ao PT.

Aborto? “Sou contra”. Mas “nunca me passou pela cabeça transformar isso no centro da campanha”, disse Serra. Pôs-se a realçar as diferenças que o distinguem de Dilma.

Apresentou-se como “pessoa religiosa”, frequentador de igrejas, usuário da expressão “se Deus quiser”. Soou como candidato a bispo, não a presidente.

A entrevista roçou a economia num único instante. E não foi para que Serra discorresse sobre seus planos macroeconômicos. Ao contrário.

O candidato foi instado a comentar outra excentricidade de sua propaganda: a agenda populista. Como fará para cumprir as promessas?

Simulado rigor técnico, Serra orçou o mínimo de R$ 600, os 10% para aposentados e o 13º do Bolsa Família em 1% do Orçamento da União. Coisa factível.

Foi confrontado com o obvio: se fosse tão fácil, Lula não teria feito? “Eles tem outras prioridades”. De resto, há “desperdício” e “desvios”.

Vencida a pauta religioso-populista, Serra foi arrastado à presença de Paulo ‘Não se Larga Um Líder Ferido na Estrada’ Preto.

Disse ter negado “há muito tempo” o sumiço de verbas de sua campanha. Lorota. A notícia fora às páginas de ‘IstoÉ’ em agosto. E o tucanato fingiu-se de morto.

Deixou voando na atmosfera, sem desmentidos, uma encrenca que agora lhe chega na forma de uma dessas perguntas que ajudam a entender os rumos de sua campanha.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Veja o quê o Serra quer fazer com o Brasil!!! É isso que você quer para o seu futuro?

A Polícia Federal está chegando perto...

PF cumpre quatro mandados de prisão em Imperatriz

PF A Operação Retroação foi desencadeada nesta terça-feira pela Força-Tarefa Previdenciária do Maranhão, composta pela Polícia Federal, pelo Ministério da Previdência Social e pelo Ministério Público Federal, com a finalidade de reprimir o crime previdenciário no Estado.

A operação tem a finalidade de dar cumprimento a 18 (dezoito) mandados judiciais – 4 de prisão preventiva, 5 de prisão temporária e 09 (nove) de busca e apreensão – expedidos pela Vara Única Federal da Subseção de Imperatriz/MA, requeridos pela Polícia Federal, com parecer favorável da Procuradoria da República, executados nas cidades de Imperatriz/MA e Dom Eliseu/PA.

As investigações, iniciadas em janeiro deste ano, levaram ao desbaratamento de uma quadrilha de fraudadores composta por servidores do INSS e intermediários com atuação principalmente na cidade de Imperatriz/MA, falsificando documentos públicos (mais notadamente certidões de óbito) e declarações de exercício de atividade rural, para fins de requerimento e concessão de benefícios previdenciários fraudulentos, mais notadamente pensão por morte rural.

Estiveram envolvidos na execução da operação 47 (quarenta e sete) policiais federais, 10 (dez) técnicos deslocados pelo Ministério da Previdência Social e 02 (dois) servidores administrativos do órgão policial.

O prejuízo aos cofres da União, decorrente da concessão fraudulenta de benefícios, ultrapassa R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), levando-se em consideração apenas os fatos apurados até o presente momento.

O título da Operação Retroação foi escolhido por se referir ao modus operandi da quadrilha, que na maioria das vezes retroagia a data do óbito para fins de auferir efeitos financeiros retroativos em valor vultoso quando do saque da primeira parcela da pensão por morte obtida fraudulentamente.

(As informações são da Polícia Federal).

Bomba!!! Bomba!!! Bomba!!!

Chefe do RH ameaça abrir o “Bocão” e pode ser vítima de processo administrativo

Ildemar pronta Açailândia – Seguindo as diretrizes do PSDB, o tucano Ildemar vira a cópia fiel de José Serra, candidato a presidente da República, claro, sem exageros e respeitando as proporções, no que diz respeito a privatizações.

O prefeito de Açailândia só deu uma paradinha na onda de privatizações do patrimônio público de Açailândia para mais uma vez enganar o povo e eleger o sobrinho.

A primeira ação do prefeito, logo após alcançar seu objetivo foi retomar de imediato os ditames do PSDB. No RH, departamento que também deverá ser privatizado, claro, com nome de terceirizado, já havia a mais de um ano sofrendo um processo de auditoria e “Ildemar atirou no que viu e acertou no que não viu”.

Informações fidedignas, e nem que me esfolem delatarei a fonte, dá conta que foi encontrada uma folha de pagamento paralela na ordem de mais de 80 mil reais mensal – suspeita-se que várias pessoas do alto escalão de Ildemar estejam envolvidas em mais esta trama da atual administração.

A primeira medida de Ildemar teria sido o afastamento da chefe do RH; ela teria recebido férias forçadas. No retorno, a servidora pública efetiva teria em tom ameaçador, tipo “sei de muita coisa”, “peitado” Ildemar e se recusado a ser transferida para outro departamento.

Quem conhece o chefe do executivo municipal que sempre posa de bom moço, humilde e pacato, mas na realidade é um verdadeiro ditador truculento, não esperava outra reação - como não pode demitir a servidora efetiva, mandou imediatamente abrir um processo administrativo contra a ex-chefe do RH. A abertura de processos administrativos contra servidores que não admitem ler na cartilha política de Ildemar vem se tornando uma constância nessa administração.

A pergunta que fica é: “Será que Ildemar vai sustentar a decisão ou vai voltar atrás por medo das ameaças”?

Não se assustem se daqui a pouco o próprio prefeito, ou até mesmo a ex-chefe do RH esteja nos veículos de comunicação pago com dinheiro público, tentando desmentir o desmentível.

Comentário do Leitor

Sobre a sua postagem "Ildemar só deu uma paradinha para eleger o sobrinho...":

Terceirização
Reduzir custos com o sacrifício de terceiros é imoral e ilegal
* Por Jorge Luiz Souto Maior
Qual a razão de se trazer a prática da Terceirização, que não passa de uma intermediação de mão-de-obra, para o setor público? Incrementar a produção? Reduzir custo?

Nada disso tem sentido… A redução de custo do trabalho para a Administração é imoral, pois o custo é reduzido a partir do sacrifício dos direitos daquele que presta o serviço. Ora, o direito da sociedade de se fazer valer dos serviços do Estado não pode ser concretizado por meio da diminuição dos direitos do trabalhador, pois isto seria o mesmo que excluí-lo da condição de membro dessa mesma sociedade, ou colocá-lo em uma situação de sub-cidadania.

De todo modo, o próprio lucro é ilusório, pois não raro as empresas de terceirização, já que não possuem estrutura produtiva própria, ativando-se com o comércio de gente, não têm bens suficientes para garantir os créditos trabalhistas desses “servidores” e como efeito o poder público é responsabilizado pelo pagamento desses créditos.

Os “terceirizados”, ademais, são tratados de modo preconceituoso, como cidadãos de categoria inferior, que estão ali prestando serviços por um “favor” da empresa prestadora. São elementos descartáveis e com relação aos quais nenhuma atenção precisa ser dada, a não ser para algum ato de caridade. Além disso, de alguns tempos para cá a perversidade da terceirização ampliou sua maldade, fazendo com que os terceirizados sejam “jogados” de um local de trabalho para o outro, sobretudo quando se “atrevem” a pleitear o respeito aos seus direitos.

Quando perdem o emprego, os terceirizados, em geral, não recebem seus direitos e para tentar fazer valê-los são obrigados a se submeter a um longo percurso judicial, tendo, ainda, que suportar o ente público dizendo, em audiência, que nada tem a ver com tal situação. A Constituição fixa, expressamente, os requisitos para a execução de serviços públicos: impessoalidade, publicidade, moralidade, acesso amplo e concurso público, tudo para evitar os defeitos por demais conhecidos do favorecimento, do nepotismo e da promiscuidade entre o público e camadas privilegiados do setor privado.

Não há em nosso ordenamento constitucional a remota possibilidade de que as tarefas que façam parte da dinâmica administrativa do ente público sejam executadas por trabalhadores contratados por uma empresa interposta. A terceirização, que nada mais é que uma colocação da força de trabalho de algumas pessoas a serviço de outras, por intermédio de um terceiro, ou seja, uma subcontratação da mão-de-obra, é inconstitucional na esfera da administração pública.

E agora José?

Dilma tem 12 pontos de vantagem sobre Serra, aponta Vox Populi

charge-serra-abaixoSÃO PAULO (Reuters) - A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, tem 51 por cento das intenções de voto, contra 39 por cento de seu adversário, José Serra (PSDB), segundo pesquisa Vox Populi divulgada nesta terça-feira pelo portal IG.

De acordo com o Vox Populi, 4 por cento dos entrevistados se declararam indecisos.

Na pesquisa anterior do instituto, realizada nos dias 10 e 11 de outubro, Dilma tinha 48 por cento, contra 40 por cento de Serra. Os indecisos somavam 6 por cento.

Se considerados somente os votos válidos --que excluem os brancos, nulos e indecisos-- Dilma tem 57 por cento, contra 43 por cento de Serra. Na sondagem anterior, a petista aparecia com 54 por cento dos válidos, ante 46 por cento do tucano.

O levantamento do Vox Populi analisou ainda o voto religioso. Conforme o instituto, Serra tem 44 por cento das intenções de voto entre o eleitorado evangélico, ante 42 por cento de Dilma. Entre os entrevistados que se declararam ateus, Dilma tem 49 por cento, ante 36 por cento de Serra.

Dilma também aparece à frente de Serra entre os eleitores que se disseram católicos praticantes (54 contra 37 por cento) e não praticantes (55 contra 37 por cento).

O voto religioso foi apontado como um dos fatores que impediram a vitória de Dilma já no primeiro turno da eleição presidencial em 3 de outubro.

O motivo seria uma rejeição dessa classe do eleitorado à suposta posição de Dilma favorável à descriminalização do aborto. Pressionada por setores religiosos, Dilma assinou uma carta na semana passada se comprometendo a não alterar a legislação existente sobre o aborto.

Segundo o Vox Populi, 89 por cento dos entrevistados declararam estarem decididos sobre em quem votarão no dia 31 de outubro, enquanto 9 por cento afirmaram que ainda podem trocar de candidato. A consolidação é maior entre os eleitores de Dilma, 93 por cento, enquanto entre os de Serra 89 por cento estão decididos.

A pesquisa, realizada entre os dias 15 e 17 de outubro, tem margem de erro de 1,8 ponto  percentual para mais ou para menos. O instituto ouviu 3 mil pessoas para o levantamento.

(Por Eduardo Simões)

Pra quem dizia que só analfabetos votam em Dilma…

Artistas e intelectuais declaram apoio a Dilma

Rio – O Teatro Casa Grande, no Rio de Janeiro, não escapou de seu destino. Fundado em 1966, foi palco da resistência à ditadura militar protagonizada pela classe artística e intelectual brasileira. No 18 de outubro de 2010, os personagens voltaram ao palco para mais um ato: resistir ao retrocesso dos tucanos. Com Dilma Rousseff, mestres da literatura e da música, artistas e filósofos defenderam a dignidade reconquistada, a reconstrução do Estado e a soberania nacional.

“É hora de unir nossas forças no segundo turno para garantir as conquistas e continuarmos na direção de uma sociedade justa, solidária e soberana”, diz o manifesto de artistas e intelectuais pela eleição de Dilma.

Estava lá o arquiteto Oscar Niemeyer, com a sabedoria de quem tem um século de vida. Num canto do palco, Ziraldo. Ao seu lado, Hugo Carvana. Chico Buarque dominou a timidez para declarar seu apoio a Dilma, “mulher de fibra, com senso de justiça social”. Para o músico, o governo Lula não corteja os poderosos de sempre.

“Fala de igual para igual com todos. Nem fino com Washington, nem grosso com a Bolívia. Por isso, é respeitado no mundo inteiro como nunca antes na história desse país”, afirmou  o criador de “A banda”, arrancando risos da plateia.

Deixa a Dilma me levar

Alcione, Margareth Menezes e Lecy Brandão foram as primeiras a chegar. Zeca Pagodinho não foi, mas mandou dizer que está com Dilma. Beth Carvalho empolgou e cantou: “Deixa a Dilma me levar, Dilma leva eu.”

O ex-ministro Marcio Thomaz Bastos levou um manifesto dos advogados. Ganhou um beijo de Dilma. As ausências da economista Maria da Conceição Tavares, do filósofo Frei Betto e da psicanalista Maria Rita Kehl foram sentidas, mas suas assinaturas estavam no manifesto.

Duro, o escritor Fernando Morais bateu nas privatizações feitas pelo PSDB. “Estou com a Dilma porque sou brasileiro e quero o Brasil nas mãos dos brasileiros. Eu sou contra a privatização canibal que esses tucanos fizeram e sei o mal que o José Serra pode fazer para o Brasil.”

Vencer a mentira

Alcione, Chico Buarque, Beth Carvalho, Leci Brandão e Niemeyer participaram do ato.

Mais suave, mas não menos contundente, o filósofo Leonardo Boff disse que o PSDB faz políticas ricas para os ricos e políticas pobres para os pobres. “A esperança venceu o medo. Agora, a verdade vai vencer a mentira.”

Eram tantos com Dilma, que o sociólogo Emir Sader comentou: “Uma pena o Maracanã estar em reforma.” Ele tem uma avaliação muito a respeito do que está em jogo no segundo turno. “A alternativa a Dilma é obscurantismo, a repressão, o caminho do fascismo”, disse, se referindo aos tucanos do PSDB de José Serra.

A candidata à presidência reconheceu nos artistas e intelectuais presentes no ato político as músicas e os livros que marcaram sua vida. No discurso, falou do orgulho que sente das derrotas que sofreu. Ganhou, por outro lado, a capacidade de resistir.

“Quem perde, ganha uma grande capacidade de lutar e resistir. Disso, uma geração não pode abrir mão. Eu tenho muito orgulho das minhas derrotas, que fizeram parte da luta correta”, afirmou Dilma.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Deu na Folha: Serra desmente ele mesmo

Palmas (TO) – Em meio à polêmica sobre a paternidade dos medicamentos genéricos no país, o candidato José Serra (PSDB) admitiu nesta terça-feira que não “inventou” esse tipo de remédio. O tucano disse que a ideia já existia e apenas trabalhou para colocá-la em prática enquanto esteve no comando do Ministério da Saúde. “Não fui eu quem inventei genérico. Os genéricos, já existia a ideia. Eu nem sabia quando eu assumi o Ministério [da Saúde]“, afirmou.

Serra também diz ser criador do seguro desemprego, mas todo mundo sabe que foi Sarney

Serra disse que o ex-deputado Ronaldo Cezar Coelho (PSDB) lhe falou sobre os remédios genéricos, por isso decidiu trabalhar pela sua implementação. O tucano afirmou que, como o projeto em discussão sobre a quebra de patentes dos medicamentos tinha falhas, fez alterações para garantir o atual modelo de produção dos remédios genéricos.

O PSDB chegou a colocar em seu site na internet texto no qual sustentou que o candidato apresentou a “Lei dos Genéricos”, e destacou a promessa do partido de “turbinar” esse tipo de medicamento.

A reação tucana veio depois que a candidata Dilma Rousseff (PT) reivindicou a paternidade dos genéricos para o ex-ministro do governo Itamar Franco, Jamil Haddad – já que o tema era uma das principais bandeiras da campanha de Serra.

Além de negar a paternidade dos genéricos, o candidato disse que também não implementou no Ministério da Saúde o programa de combate à AIDS, em vigor no país. “Eu toquei o programa da Aids para acontecer na prática, mas não foi ideia minha.”

É lacônico, para não dizer patético!!!

Mamãe Lula, mamãe FHC e o Dia das Crianças!

Apelação toma conta da corrida presidencial

‘Jesus é a verdade’, diz santinho do comitê de Serra, como se ele [Serra] fosse um verdadeiro Santo.

Deus fez o homem à Sua imagem e semelhança. E dele fez a mulher. O Senhor ordenou que crescessem e se multiplicassem.

O tempo passou. E, no ano da graça de 2010, o processo de criação resultou no nascimento das candidaturas de José Serra e Dilma Rousseff.

Nesta sexta (15), enquanto Dilma divulgava em Brasília sua carta de rendição aos religiosos, a assessoria de Serra distribuída em São Paulo o panfleto ao lado.

Na peça, a inscrição: “Jesus é a verdade e a Justiça”. O santinho veio à luz num encontro de Serra com cerca de 1.500 professores.

Na boca da urna, Serra e Dilma falam de Deus com tal convicção que a platéia é tentada a crer que Ele não existe. Ou, por outra, não merece existir.

Fica-se com a impressão de que, se existe, o Padre Eterno não dá expediente integral. Nas Suas horas de folga, assume o Tinhoso.

Fonte: Blog do Josias

Entre Dilma e Serra, Marina e o PV ficam com o muro

Se você é movido a convicções, só lhe restam duas alternativas: Lute por seus princípios. Ou entre para um partido político.

Repare o caso de Marina ’20 milhões de votos’ Silva. A teceira colocação no primeiro turno presenteou-a com uma bifurcação.

De um lado, o tucanato. Do outro, o petismo. Pois bem. Entre Dilma Rousseff e José Serra, Marina preferiu o muro.

Reunido em convenção, neste domingo (17), o PV acompanhou a candidata. Havia no recinto 92 votos. Mas a deliberação veio por votação simbólica.

O jogo estava jogado desde o meio da semana passada. Marina, a propósito já trazia consigo uma “carta aberta” a Dilma e Serra.

No texto, Marina anota que PT e PSDB são protagonistas de uma "dualidade destrutiva". Pregam a "mútua aniquilação".

"A agressividade do seu confronto pelo poder sufoca a construção de uma política de paz", escreveu.

O PV liberou seus filiados. Fernando Gabeira, por exemplo, vai de Serra. Zeguinha Sarney, de Dilma.

Neutralidade? Marina prefere usar outro vocábulo: "O fato de [o PV] não ter optado por um alinhamento não significa neutralidade...”

“...Essa independência é a melhor maneira de contribuir com o povo brasileiro".

Segundo o último Datafolha, divulgado na véspera, 51% dos eleitores de Marina pendem para Serra no segundo turno. Outros 23% flertam com Dilma.

Para 55% do eleitorado de Marina, a posição da candidata seria indiferente. Apenas 25% admitiram levar em contra a opinião dela.

Ou seja: Ao não escolher nenhum dos caminhos da bifurcação, Marina conciliou sua vontade pessoal com a indiferença da maioria dos donos dos votos dados a ela.

Se tomasse um dos dois caminhos da bifurcação, Marina corria o risco de trombar com um naco de seu eleitorado. Preferiu assumir o risco de ser atropelada como uma transeunte independente.

Deu no Blog do Josias: Debate não teve lance com potencial para virar votos

Dilma-e-Serra-010210 Dilma Rousseff e José Serra tonaram-se candidatos-parafusos. Com as ideias espanadas, rodam a esmo em torno dos mesmos assuntos. O debate deste domingo foi menos encrespado que o anterior.

Recolheram-se os punhos. Bom. Abortou-se a agenda religiosa. Ótimo. O diabo é que o tempo de sobra foi usado em rodopios ao redor do mesmo. As teses foram expostas em profundidade que pode ser atravessada por uma formiga de joelhos.

Antes de trocar o enredo em miúdos, a conclusão: As câmeras não testemunharam nenhum escorregão. O debate serviu mais para consolidar a preferência do eleitor do que para virar votos. Nesse sentido, foi mais últil a Dilma, à frente nas pesquisas.

Num olhar microscópico, Serra lidou melhor com o português. As frases de Dilma soaram enleadas. No último bloco, sua confusão brigou com o relógio. A pupila de Lula ajudaria a si mesma se banisse dos lábios a expressão “no que se refere a...”. Repetiu-a três dezenas de vezes.

De resto, a esperteza de Dilma, por repetitiva, começa a engolir a dona. Serra parece antecipar-lhe os lances. Livra-se das armadilhas com mais naturalidade. Para grudar no rival um pouco mais de FHC, Dilma puxou-o para a arena das privatizações.

Uma, duas, três, quatro vezes. Diferentemente do que ocorria no primeiro turno, Serra perdeu a vergonha de defender FHC. Disse que a campanha de Dilma “mente o tempo todo”. A privatização é a “principal mentira”.

Recordou que, sob Lula, a Petrobras concedeu mais jazidas petrolíferas à exploração privado do que na era FHC. “Se concessão é privatização, fizeram mais”. Remartelou declarações elogiosas que o atual presidente do PT, José Eduardo Dutra, fizera ao modelo de concessões.

No festival do mesmo, Serra repetiu que Antonio Palocci, hoje mandachuva da campanha petista, elogiou a política econômica de FHC. De resto, repisou a tecla de que a própria Dilma elogiara o processo que levou ao martelo as estatais telefônicas.

Como Dilma insistisse no tema, Serra disse, pela enésima vez, que não vai privatizar, mas reestatizar as estatais, hoje rateadas entre sindicalistas e políticos.

Sempre que o debate enveredou para temas específicos, Dilma esfregou na face de Serra mazelas de São Paulo. Educação? Os índices do Estado são “constrangedores” e os professores são tratados no “cacetete”.

Saúde? Serra negou-se a participar dos convênios do Samu (programa de ambulâncias), onerando os municípios. Segurança pública? “Quero ajudar a livrar São Paulo do PCC”. Drogas? O povo de São Paulo conhece a cracolândia.

A certa altura, Serra disse que a antagonista parecia candidata ao governo paulista, não à Presidência. Esgrimiu indicadores que distinguem São Paulo de outros Estados. Foi à jugular ao recordar que, em São Paulo, PT é freguês de caderneta do PSDB.

Perdeu “a eleição atual, a anterior, a anterior da anterior e a anterior da anterior da anterior”. Dilma contra-atacou de FHC. Contrapôs aos 5 milhões de empregos criados na era tucana as quase 15 milhões de carteiras assinadas sob Lula.

Perguntou a Serra se concordava com frase atribuída a um ex-ministro do Trabalho de FHC, que teria ”criado no Brasil a categoria dos ininpregáveis”. Referia-se a Edward Amadeo, que, ao assumir a pasta, em maio de 1996, dissera que o problema do trabalhador não era de emprego, mas de “empregabilidade”.

Serra tratou o comentário pelo nome correto: “Bobagem”. Disse que a injeção de FHC no debate não ajuda a iluminar o futuro. Insinuou que Lula serviu-se de tudo o que o PT rejeitara: as privatizações, a Lei de Responsabilidade Fiscal e, sobretudo, o Plano Real.

“A inflação chegava a 20% ao mês”, disse. Depois, foi à canela: “Tenho apoio de dois ex-presidentes, Itamar Franco e Fernando Henrique. Eles fizeram o Real. Dilma tem o Collor e o Sarney. A população pode julgar”.

Os escândalos só entraram no debate por meio das jornalistas escaladas para arguir os candidatos. A Serra perguntou-se sobre Paulo Preto, o homem da mala de R$ 4 milhões. A Dilma, sobre Erenice Guerra, a braço-direito dos parentes e do lobby.

Serra escorregou. Disse que afirmara desconhecer o ex-direitor da Dersa porque não sabia do “apelido racista”. Disse que ninguém jamais o informou a cerca de sumiço de verbas eleitorais –nem quem doou nem quem arrecadou. Absteve-se de comentar a nomeação de uma filha de Paulo Preto, que assinou.

Dilma reconheceu, pela primeira vez, que Erenice “errou”. Disse que vê os malfeitos com “indignação”. Afirmou que é contra o nepotismo e o tráfico de influência. E declarou que a PF está no caso, algo diferenciaria o governo atual do anterior.

Para fustigar Serra, Dilma recordou que Paulo Preto frequenta a Operação Castelo de Areia como beneficiário de propinas na principal obra viária de São Paulo: o Rodoanel. E não há, disse, vestígio de providência que o governo paulista tenha adotado.

Os candidatos têm pela frente pelo menos mais dois debates. Ou reciclam o discurso ou se arriscam a perder a (pouca) audiência. Na bica da eleição, não fica bem tratar o superficial como profundo.

Qualquer eleitor com dois neurônios sabe: 1) Que a gestão FHC não foi um governo-pastelão. 2) Que Lula deu o salto social impulsionado pelo colchão de estabilidade que o antecessor fabricara. Trocou a roupa de cama sem atear fogo na casa.

É hora de se concentrar em 1º de janeiro de 2011. Concorrem Dilma e Serra, não suas sombras. O superficial já não pode ser vendido como profundo, o aparente como latente. O excesso de espuma desrespeita o eleitor.

sábado, 16 de outubro de 2010

Dilma divulga carta para ‘pôr um fim definitivo à campanha de calúnias’

Robson Bonin Do G1, em Brasília

A campanha da candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, divulgou nesta sexta-feira (15) carta intitulada “Mensagem da Dilma”, na qual ela reafirma posições sobre aborto, liberdades religiosas, garantias constitucionais e preceitos que não afrontem a família.

No documento, Dilma manifesta o desejo de pôr “um fim definitivo” aos boatos que envolvem sua campanha, “para não permitir que prevaleça a mentira com arma em busca de votos”

A exemplo de Dilma, um grupo de 168 pessoas, na maioria religiosos, além de professores, intelectuais e artistas, também divulgou nesta sexta manifesto contra boatos e a favor da candidatura da petista [veja mais abaixo].

Deu no Marcos D’Eça: A chantagem covarde e criminosa das religiões no Brasil

Pressionado por católicos, Serra se submete a expressar uma fé que não faz pate do seu dia-dia

Os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) estão acuados.

Parecem até disputar não a eleição presidencial, mas a condição de honorável conservador medieval.

Tudo para agradar a canalha religiosa – católica e evangélica -que há muito manipula as instituições oficiais em nome de seus interesses mesquinhos e covardes.

Incapazes de convencer o jovem moderno, intelectualizado e esclarecido, dos seus argumentos obscurantistas e inúteis, estas religiões querem obrigar o Estado a fazer o trabalho deles por meio da opressão da lei.

Com medo da fuga dos votgos de cabtresto dos evangélicos, Dilma se obriga a rever as próprias convicções

E seus líderes – muitos sem a menor condição moral de se apresentar publicamente – usam as práticas de chantagem mais criminosas para acuar a classe política.

Manipuladores da fé, estes líderes ameaçam com o que de mais importa aos políticos: o voto. Os de cabresto, nos currais religiosos espalhados Brasil a fora.

Aborto, união civil de homossexuais, células-tronco são questões de saúde pública e desenvolvimento, não de Religião.

Elas que mantenham os seus dogmas a quem aceite seguir seus preceitos. Mas não podem usar o Estado para impor estes preceitos aos demais membros da sociedade.

Se os líderes religiosos não têm capacidade para convencer a jovenzinha do dogma de manter-se pura até o casamento – muitas delas aliciadas por eles próprios –  não é o Estado que vai fazer o trabalho deles.

Estes líderes religiosos usam os temas apenas para negociar benefícios, trocando apoios por trinta dinhheiros.

Já passa da hora de dar um basta nesta canalha religiosa, que enriquece a cada campanha em detrimento do avanço tecnológico e cultural – usando como argumento ameaças espirituais sem sentido e manipulando incautos levados pelo medo à crença nestas bobagens.

O mesmo medo que faz Serra e Dilma se curvarem diante destes mercadores da fé…

Datafolha desmente Sensus: Dilma 54 X 46 Serra

clip_image001A segunda pesquisa Datafolha no segundo turno da eleição presidencial apresenta um cenário de estabilidade. Dilma Rousseff (PT) tem 54% dos votos válidos (excluem brancos, nulos e indecisos), contra 46% de seu oponente, José Serra (PSDB).

Os dados são exatamente os mesmos registrados em levantamento realizado na semana passada. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A taxa de indecisos, porém, oscilou para cima e agora está em 8% (era 7% na pesquisa anterior). Os que pretendem anular o voto ou votar em branco, 4%, eram em número idêntico na semana anterior.

Em votos totais, a petista registrou uma leve oscilação para baixo, passando de 48% para 47%, enquanto o tucano se manteve com 41%.

Para o Datafolha, essa oscilação se explica por uma queda de 3 pontos percentuais entre o eleitorado de menor escolaridade, que representa 47% do total de eleitores no Brasil.

Ontem a CNT/Sensus divulgou levantamento mostrando os dois candidatos em situação de empate técnico. Serra até usou esses dados em seu programa da noite desta sexta-feira. Oh, mico!

Religião

Os temas religiosos que dominaram esta etapa da campanha, como aborto e casamento homossexual, parecem não ter influenciado o eleitorado.

Entre os católicos, por exemplo, que são maioria na população brasileira, a ex-ministra tem 51% contra 38% do ex-governador de São Paulo, números semelhantes aos registrados na semana passada (o tucano oscilou um ponto para cima).

No grupo de evangélicos não pentecostais a candidata petista cai quatro pontos, enquanto Serra oscila positivamente dois pontos. Essa faixa representa 6% do eleitorado.

Curiosamente, a maior movimentação ocorre justamente no grupo dos que se declaram sem religião, em que Dilma caiu cinco pontos percentuais, e Serra cresceu cinco (a petista ainda vence por 45% a 40%). O grupo também representa 6% do eleitorado.

Marina

clip_image002O apoio de Marina Silva poderia influenciar no voto de 25% dos entrevistados, segundo o Datafolha. Entre os que votaram na candidata verde no primeiro turno, 51% dizem optar por Serra agora, contra 23% que declaram o voto em Dilma (oscilação positiva de um ponto com relação à pesquisa anterior –o tucano manteve o patamar). Pretendem votar em branco ou anular o voto 11%, enquanto 15% dos eleitores de Marina estão indecisos.

Rejeição

Entre os que dizem não votar em Serra, a rejeição ao candidato tucano passou de 63% para 66%. No caso de Dilma, o número de eleitores que não declaram voto na petista e não votariam nela de jeito nenhum oscilou um ponto para baixo, caindo de 68% para 67%.

A pesquisa foi feita nos dias 14 e 15 de outubro com 3.281 eleitores de 202 municípios brasileiros e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os contratantes do levantamento, registrado no TSE sob o número 35.746, são a Folha e a Rede Globo. Leia mais aqui.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ildemar só deu uma paradinha para eleger o sobrinho!!!

Denúncias do Blog do Freire: Mais uma onda de privatizações com nome de “terceirizações” em Açailândia.

Ildemar pronta2 O Blog do Freire foi informado através de fontes seguras que o prefeito Ildemar está preparando mais três projetos para terceirizar setores da administração pública, confira abaixo quais são os proximos setores públicos a entrarem na pauta do balcão de negócios de Ildemar e sua turma da prosperidade mágica "Da noite pro dia".

1º - A primeira trata-se da saúde que segundo informações será entregue a uma administradora para que o prefeito seja isentado das suas responsabilidades administrativas. Caso esse projeto passe e a câmara de vereadores aprove a medida, os funcionários da saúde deverão ter salários diminuídos e direitos vetados. Segundo as nossas fontes, tudo está sendo feito de forma sigilosa e a empresa que seria detentora dos serviços seria de propriedade da família do prefeito Ildemar, seria mais um órgão entregue nas mão de parente do prefeito.

2º - O segundo trata-se do mercado Municipal, depois que recebemos as informações, o vereador Bebezão disse em seu discurso na seção desta quinta feira que os vereadores deveriam fazer uma visita ao mercado para explicar aos feirantes as condições que deverá ser implantada nesta terceirização. Ainda de acordo com o vereador que não prendeu a língua, os vereadores envolvidos iriam apresentar aos donos de boxes do mercado as vantagens com a nova forma e administração , além de explicar o por que do mercado nunca ter passado por uma reforma como já foi pedido por vários vereadores ao longo dos seis anos de administração de Ildemar. Tudo não passaria de uma estratégia para suprimir os feirantes e levá-los ao desgaste há ponto deles próprios pedirem para que o mercado seja terceirizado, é o que chamaríamos de “Vencer pelo cansaço”.

3º - Este é o que deverá promover uma verdadeira guerra entre servidor e administração. Trata-se da terceirização do setor de Recursos Humanos da prefeitura. Segundo informações de pessoas ligadas ao gabinete do prefeito Ildemar, a medida seria para este ano. Pouca gente está sabendo deste fato que sem duvidas será negado pelo prefeito e pelos vereadores envolvidos na trama que pretende tirar o direito dos funcionários públicos. Em conversa com um servidor que não quis se identificar, fui informado que a classe está investigando a acusação e caso o projeto chegue a ser levado para votação na câmara municipal, haverá uma grande manifestação dos servidores que farão de tudo para que o RH municipal não seja entregue nas mãos de terceiros.

 “O RH é de cada um dos funcionários e os nossos direitos estão todos ali, salários, cargos, carreira, o RH é o nosso patrimônio e a nossa garantia de direitos, se o prefeito fizer o que andam comentando por ai, de tentar vender o RH para uma empresa, não vai terminar bem, vamos lutar e se possível vamos até Brasília, ou em qualquer outro lugar onde a gente possa impedir essa falta de respeito do prefeito que já está passando dos limites com essa história de terceirização”, desabafou um funcionário público indignado com a noticia.

Em visita ao SINTRASSEMA, sindicado do Servidor Público de Açailândia pude confirmar a apreensão de muitos servidores que estavam procurando a direção do sindicato em busca de mais informações sobre o assunto, os corredores estavam lotados de servidores angustiados com a terrível noticia. Em conversa com a presidente do sindicato, fui informado que até o momento não havia conhecimento de causa por parte da diretoria, mais que haveria uma investigação para apurar as informações, a presidente Da Paz não informou que atitudes seriam tomadas pelo sindicado caso tudo seja confirmado.

Fonte: Blog do Freire.

Só os votos desperdiçados em Açailândia dariam para eleger um deputado estadual

eleitores2 Açailândia – A falta de interesse do eleitor pela política fica mais latente a cada campanha. Em Açailândia, os números do resultado das eleições do último dia 03 de outubro é ainda mais preocupante. O município ultrapassou o índice de 21% de abstenção nas urnas, ou seja, mais de 15 mil eleitores não saíram das suas residências e exerceram o seu dever democrático. Açailândia só perdeu em  índice de abstenções para a sua própria Federação, pois o Maranhão foi o campeão de abstenção de votos nas eleições deste ano.

Está certo que eleitor esteja decepcionado com a política maranhense, mas não é cruzando os braços que resolveremos os problemas políticos/administrativos do nosso Estado e do nosso município.

Para que o meu leitor tenha uma idéia do absurdo que está sendo vivido por Açailândia, só os votos desperdiçados em 3 de outubro, ou seja, a soma de abstenções, votos brancos, nulos e votos de legenda alcançou o número de 22.524 votos, suficientes para eleger um deputado estadual, sem a necessidade de nenhum voto de fora do município.

É preciso que reflitamos e repensemos a nossa condição de morador de Açailândia que quer aqui viver, manter sua família e alcançar também os seus objetivos financeiros. Se deixarmos para fazer depois, será sempre depois. E nunca... Nunca mais teremos a oportunidade de assumirmos nossas responsabilidades hoje!

Mais um acidente grave em Açailândia envolvendo motociclista

clip_image001

Açailândia- Na manhã de hoje (14/10) aconteceu mais um acidente de moto na BR 222 próximo a entrada da Avenida do Quartel. Uma moto Honda de placa CAT 1994 de GO, que vinha no sentido Centro/Pequiá, se chocou com uma caminhonete de placa HOL 5931 de Açailândia - MA, que vinha no sentido contrário, conduzida por Francisco de Assis Galdino que a mais de vinte anos é motorista e nunca tinha passado por uma situação desta. O nome do motoqueiro, a princípio, não foi identificado. Informações dão conta que trata-se de homem que trabalha em uma grande empresa no Distrito Industrial de Pequiá.

O Acidente

clip_image002Segundo informações coletadas no local do ocorrido, o motorista da caminhonete entrou na BR-222 vindo da Vila Ildemar, enquanto o  motoqueiro ultrapassava outros veículos, foi quando ocorreu a colisão. O impacto foi tão forte que o condutor da motocicleta foi lançado para o alto e a cabeça dele bateu no pára-brisa da caminhonete, felizmente estava usando capacete.

No momento do acidente passava pelo local um professor de Bombeiros Civis identificado por Silvamar da SWG Consultoria, acompanhado de um funcionário do Corpo de Bombeiros da Cidade de Imperatriz, que prestaram os primeiros socorros e o procedimento devido.

Mas uma vez fica aqui nossas súplicas aos governantes de nosso município: implantem em nossa cidade um SAMU e um Corpo de Bombeiros”. Porque não aproveitar estes bombeiros civis que já existem na cidade e são extremamente qualificados?

Fonte/Blog do Alair hands

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Deu na Imprensa da Capital: Hélio Santos pode ser cassado

O Ministério Público Eleitoral (MPE) em Açailândia prepara uma ação que pode resultar na cassação do deputado federal eleito Hélio Santos (PSDB). Presidente da Câmara de Vereadores de Açailândia, ele foi eleito com 58.413 votos. Teve o apoio do tio, o prefeito Ildemar Gonçalves (Açailândia), e dos prefeitos Sebastião Madeira (Imperatriz) e Deoclides Macedo (Porto Franco).   

Hélio Santos (camisa azul) durante carreata em Açailândia

Representantes do MPE teriam filmado o abastecimento de carros para uma carreata comandada pelo deputado eleito. Mais grave: Ildemar e Gonçalves e Hélio Santos, como presidente da Câmara, são apontados como os principais responsáveis pela regularização de mais de 45 mil lotes de terras na Vila Ildemar no período da eleição.   

Na época, a prefeitura distribuiu um informe publicitário na imprensa açailandense comemorando o feito. Parte do material foi apreendido pelo MPE e vai servir para embasar a ação por abuso do poder econômico e político. A doação de terrenos em período vedado foi o que levou à cassação do então prefeito de Barreirinhas, Miltinho Dias (PT).   

Caso se confirme a cassação de Hélio Santos, seus votos podem ser anulados e em seu lugar deve assumir o segundo suplente da coligação “O Maranhão Não Pode Parar” Chiquinho Escórcio (PMDB), já beneficiado com a cassação do deputado Cleber Verde (PRB). O primeiro suplente é o deputado Davi Alves Silva Júnior, o Davizinho (PR).

Blog Décio de Sá.

Enquete do Blog

Açailândia – Em breve uma análise minunciosa sobre a enquete: “Você vota em candidatos do prefeito Ildemar”? O Blog acertou em cheio o índice de rejeição do prefeito tucano.

Oito acidentes em rodovias federais no feriado

estradas SÃO LUÍS – A Polícia Rodoviária Federal (PRF), por meio do Núcleo de Comunicação (Nucom), deve divulgar, nas próximas horas, o balanço final da "Operação Nossa Senhora Aparecida", realizada nas rodovias federais que cortam o Maranhão durante o feriado prolongado. De acordo com números parciais da operação realizada pela PRF, oito acidentes aconteceram nesta terça-feira (12), sendo que quatro pessoas saíram feridas de acidentes e uma morreu.

O acidente com morte aconteceu na região Tocantina. A vítima foi um motociclista, que trafegava na BR-010, quando, no Km 329, se chocou contra um caminhão.

A PRF já se prepara para realizar uma nova operação em rodovias federais que cortam o Estado. É a "Operação Finados", que visa fiscalizar os veículos a partir dos próximos dias. A operação segue até às 0h do próximo dia 2, feriado do Dia de Finados.

Região metropolitana

A Polícia Militar (PM), por meio do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), também deve divulgar, nesta manhã, o balanço das fiscalizações realizadas na região metropolitana da capital. A PM também deve divulgar o resultado dos trabalhos de fiscalização realizados em rodovias estaduais durante o feriado prolongado.

Imirante.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Votos ainda não computados poderão mudar lista de eleitos a deputado estadual no Maranhão.

eleicoes20081 Açailândia – Os candidatos que foram para disputa nas urnas com situação de registros de candidaturas “indeferido com recurso” pela Justiça Eleitoral não apareceram na lista de votados, ou seja, foram votados, mas não tiveram seus votos validados, como aconteceu na eleição de 2006 com ex-deputado Deusdete Sampaio e poderia também ter ocorrido com o ex-prefeito de Itinga do Maranhão, Quininha. O candidato do PRP conseguiu legalizar sua situação no meio da campanha e teve os seus votos validados.

Como os recursos dos candidatos abaixo listados ainda deverão ser julgados pelo Tribunal Superior Eleitoral, abre-se a possibilidade da validação, ou não, dos votos. Caso sejam confirmados os votos dados pelo eleitor no último domingo (03/10) poderá haver mudança na lista de eleitos por coligação, como é o caso da coligação Unidos Pelo Maranhão composta pelos partidos PR/PRTB/PTdoB, que elegeu Jota Pinto com 22.548 votos e Alexandre Almeida com 18.344 votos. Caso sejam válidos os votos de Raimundo Louro que somaram 20.763, o menos votado poderá perder a vaga, ou até mesmo a coligação fazer mais um deputado, desfalcando outra coligação, isso depende dos novos cálculos.

A regra é simples pega-se a quantidade de votos válidos conseguidos pela coligação e divide-se pelo coeficiente eleitoral e chega-se a quantidade de vagas a serem ocupadas.

Veja a lista abaixo dos candidatos a deputado estadual que foram para disputa nas urnas com a situação de registro de candidatura indeferida com recurso no Maranhão:

15234 – Márcia Marinho (PTB - Caxias) - 23.643 Votos

11222 – Gildan (PP - Buriticupú) - 14.435 Votos

22222 – Raimundo Louro (PR – Pedreiras) - 20.763 Votos

65555 – Enoc Lopes (PC do B) - 2.068

28112 – Eliomar Feitosa (PRTB) - 1.684

15555 – Francisco Dantas (PMDB) - 909

23666 – Benedito Garcia (PPS) - 131

Ficha Suja: TSE Cassa registro de candidatura de Cléber Verde.

Por maioria dos votos – seis a um -, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negaram o registro de candidatura do deputado Cléber Verde (PRB-MA), reeleito no domingo (3) para mais um mandato na Câmara dos Deputados. Ele, que teve a inscrição contestada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) com base na Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10), recebeu a terceira maior votação no estado: 126.896 votos.

Com a decisão, caberá ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) refazer o cálculo do quociente partidário e determinar quem deve entrar no lugar do parlamentar. Cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Cinco ministros da corte acompanharam na íntegra o relatório do ministro Hamilton Carvalhido, que votou por aceitar o recurso do MPE e barrar o registro de Cléber Verde. Contra ele, pesava o fato de ter sido demitido do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) em 2003 sob a acusação de inserir dados falsos no sistema do órgão.

Votaram junto com Carvalhido os ministros Arnaldo Versiani, Henrique Neves, Aldir Passarinho Junior, Cármen Lúcia e o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski. Votou contra o recurso o ministro Marco Aurélio Mello.

No seu voto, Carvalhido afirmou que, no caso de Cléber Verde, a Lei da Ficha Limpa deve ser aplicada imediatamente. Também afirmou que a norma não retroagiu para prejudicar o candidato. Segundo o ministro, Cléber verde, que tinha o cargo de agente administrativo, foi exonerado do INSS após a realização de um processo administrativo.

Por conta disso, estava passível de enquadramento na ficha limpa. Ao votar, Carvalhido questionou a posição do TRE-MA, que não aplicou as novas normas em nenhum caso. “A decisão da corte regional não está em harmonia com a decisão do TSE”, afirmou.

Para a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, os precedentes do TSE em casos de ficha limpa “são fartos”. Por conta disso, ela não se alongou na defesa da norma. Reforçou que inelegibilidades não são sanções, “por isso se aplicam nas eleições deste ano”.

Sobre o mérito do caso, Cureau disse que Cléber Verde foi citado pela comissão administrativa do INSS que discutiu seu caso, e que, contra ele, pesa uma ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF) por estelionato.

“O servidor foi citado, teve período de defesa. Ele foi interrogado pela comissão administrativa, participou de todas as fases do processo”, afirmou. Por conta disso, a vice-procuradora comentou que a defesa não poderia argumentar que não houve concessão de defesa apropriada ao deputado federal, que foi reeleito no domingo (3).

O julgamento do caso estava previsto para ocorrer na última sexta-feira (1º). No entanto, acabou adiado pelo TSE. O adiamento beneficiou o parlamentar, que concorreu com o registro deferido, já que o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) não aplicou a Lei da Ficha Limpa em nenhum caso.

O advogado do parlamentar, Flávio Britto, disse que Cléber Verde fez parte de uma equipe de servidores, em 1996, que foram deslocados de São Luís do Maranhão para Imperatriz, distantes mais de mil quilômetros, para analisar uma série de processos sobre aposentadorias de trabalhadores rurais.

“Mais de mil processos, 13 foram postos em xeque. Somente um deles houve questionamento até o fim”, relembrou Britto. Segundo a defesa, esse processo gerou um processo localmente, mas acabou não sendo julgado. Em 2004, no ano seguinte após a demissão, ele entrou uma ação anulatória que até agora não foi julgada.

Com informações do Congresso em Foco