quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

ACORDA MINISTÉRIO PÚBLICO!!! Reacende denúncias gravíssimas contra secretário do prefeito em exercício de Açailândia

O escândalo no Conselho Tutelar de Açailândia datado de setembro de 2013 envolveu o próprio Juscelino Oliveira que foi obrigado a dar explicações ao órgão de proteção à criança e o adolescente.
Foto Blog amarcosnoticias.com.br: Flagrante do atual prefeito de Açailândia chegando ao COMUCAA para dar explicações sobre denúncia de vazamento cometido pelo seu atual secretário de Esportes que teve o mandato cassado, quando foi Conselheiro Tutelar.
Na postagem do Blog amarcosnoticias.com.br de 17 de setembro de 2013 o conselheiro tutela Glen Hilton é acusado de vazar informações confidenciais contra políticos locais que pudessem beneficiar o então vice-prefeito Juscelino Oliveira – um dos prejudicados seria o pastor da Igreja CIADSETA, José Alves Cavalcante.
De acordo com o blogueiro Antonio Marcos, Juscelino elegeu Glen Hilton, conhecido como “Azeitona”, para que o mesmo pudesse repassar tais informações (denúncias) que envolvesse políticos da região, principalmente, seus desafetos.
Juscelino teria sido flagrado no dia 16/09/2013, no momento em que chegava e saia da sede do COMUCAA, onde teria permanecido por cerca de 01 hora (foto acima).
Após denúncia recente do uso da máquina administrava em benefício da iniciativa privada (Improbidade Administrativa), em que o secretário de esportes do município de Açailândia entregou supostamente DE GRAÇA o estádio de futebol da cidade para virar campo de treino do Cavalo de Aço, time profissional da cidade de Imperatriz, o cidadão Eduardo Hirata resolveu reforçar essas denúncias, inclusive apresentando Leis que proíbem o uso indevido do Estádio Municipal do Município e reacendeu uma denúncia antiga que envolveu, tanto o secretário Azeitona, como também o atual prefeito em exercício Juscelino Oliveira.
Leia abaixo, na íntegra, o email enviado por Eduardo Hirata:

Caro Wilton Lima,

GLEN HILTON, esse secretário de esportes, é mesmo uma excrescência... Conselheiro tutelar de junho de 2013 a agosto de 2013, quando foi, muito tardiamente, “cassado” do Conselho Tutelar. “Oficialmente, destituído da função”, mas na prática, “expulso, afastado, demitido, de fato cassado”.

Por inúmeras irregularidades, transgressões, barbaridades, atentados ao serviço público e ao ECA/Estatuto da Criança e do Adolescente, e à função e responsabilidades de “conselheiro tutelar”, que não deixa de ser não só “agente público”, mas “autoridade pública”.

No entanto, aparentemente saiu foi premiado, para  a secretaria de esportes, no que pode ser entendido como um acinte à população: como pôde o prefeito Jucelino nomear como secretário um elemento “cassado” do Conselho Tutelar, órgão público municipal?

Logo que assumiu, em 2013, GLEN envolveu-se em dois “escândalos” devidamente “acobertados e arquivados pelo Conselho Municipal/COMUCAA e pelo próprio município, prefeitura da Gleide e SEMAS da Zetinha: a omissão de socorro a ex-menino do trem da Vale, e o vazamento de denúncia do Disque 100, que acabou envolvendo o pastor Antonio Cavalcante e  o próprio Juscelino, além de uma bandalheira interna no Conselho Tutelar (tudo bem divulgado e noticiado pela mídia/blogs sobretudo) que arrebentou o órgão “zelador dos direitos da criança e do adolescente até hoje.

Então, GLEN não “renunciou ao mandato de conselheiro tutelar”, para o qual foi eleito em abril de 2013, mas sim foi “destituído, cassado” pelo COMUCAA em agosto de 2015, por malfeitos como conselheiro tutelar, e como servidor público , visto que conselheiro tutelar é entendido também como tal.

E não só isso; neste atual “processo eleitoral, iniciado em abril e que culmina agora domingo, dia 10/01, com a posse do “novo” CONTUA para mandato até janeiro de 2020, GLEN também concorria, mas não renunciou sequer à candidatura. Embora tenha cometido sucessivos desatinos neste processo, devidamente protegido pelo COMUCAA, conforme publiquei várias vezes, continuou até sua “cassação”, que o COMUCAA tinha que efetivar, sob pena de desmoralizar-se de vez, tão vergonhoso e descarado era o “conselheiro e candidato à reeleição GLEN Hilton”.

Na situação presente, é de estarrecer que este “elemento”, que foi conselheiro tutelar (ainda bem que caiu, caiu não, foi “chutado” tarde, fora...) e que “aprendeu” sobre a ABSOLUTA PRIORIDADE  no atendimento dos direitos da criança e do adolescente, por parte da família, da sociedade e do Estado/governos – que no caso, representava – (CF, artigo 227),  negue os direitos da criançada das escolinhas de futebol a se utilizarem do estádio Pedro Maranhão, mas o cede ao “Cavalo de Aço”; não apóia, pelo contrário, discrimina e exclui essas escolinhas de futebol mas apóia o futebol profissional, o que é proibido pela Lei Orgânica do Município (LOMA, artigo 180).

Enfim, a comunidade esportiva não tem que só botar a boca no trombone  não, tem que ir prá cima de fato e direito, pois a lei municipal é bem clara, o município não pode gastar/investir recurso nenhum em esporte profissional, e mais, as prioridades são para a Criança e o Adolescente, o esporte escolar/educacional,  o esporte amador, comunitário.

É buscar-se quanto vai custar, o que vai custar pra Açailândia essa nefasta parceria.

Hoje (05), pela manhã, o pessoal das escolinhas de futebol e do futebol amador estava uma “fera” com o “elemento” GLEN HILTON... Que não fiquem só nisso, então...

A partir de sua “cassação” no CONTUA, nem poderia estar sendo “agente público municipal” remunerado pelo povo de Açailândia.

Abraços!


Eduardo Hirata, 05/01/2016)

Nenhum comentário: