quinta-feira, 21 de julho de 2016

PF prende grupo que preparava atos de terrorismo, diz agência

Da Reuters

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira um grupo que preparava atos de terrorismo no Brasil, disse uma fonte do Ministério da Justiça, em uma operação deflagrada a 15 dias da abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro. A operação foi confirmada pelo UOL Esporte, mas as prisões ainda não foram confirmadas.
O ministro da Justiça, Alexandre Moraes, vai conceder uma entrevista coletiva dentro de instantes em Brasília, mas o tema da coletiva não foi informado por sua assessoria devido a "razões de segurança".
A ação da PF ocorre dias após o serviço internacional de inteligência Site, especializado no combate ao terrorismo, informar que um suposto grupo militante intitulado Ansar al-Khilafah Brazil declarou apoio ao movimento jihadista Estado Islâmico em publicação em um aplicativo de mensagens e promoveu propaganda jihadistas em inglês e português.
De acordo com o Site, um jihadista apoiador do Estado Islâmico denominado Ismail Abdul Jabbar al-Brazili enviou mensagens em português pelo serviço Telegram repetindo discurso de um porta-voz oficial do grupo militante, além de outras mensagens.
Segundo o jornal O Globo, as prisões foram feitas em São Paulo e no Paraná. O grupo teria sido recrutado pelo Estados Islâmico pela internet.
A revista Época revelou que o roteiro dos terroristas envolvidos nos atentados é semelhante ao dos casos em Orlando, nos Estados Unidos, e Paris, na França. Eles foram recrutados pela internet e juraram lealdade ao Estado Islâmico.
A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) já havia confirmado no mês passado que equipes de inteligência que atuam próximas ao plano de segurança dos Jogos do Rio tinham detectado a abertura de uma conta em português no Telegram para a troca de informações sobre o Estado Islâmico, mas as autoridades vinham garantindo que não havia sido detectada qualquer ameaça de ataque ao país.

Veja a lista completa dos limites de gastos de campanha em todas as cidades do Maranhão

aaalimite-de-gastos-inflacao-1-page-049
a2
a3a4
a5a6
a7
a8

quarta-feira, 20 de julho de 2016

TSE divulga limites de gastos atualizados de campanha nas Eleições 2016

Em Açailândia o gasto máximo permitido na campanha de prefeito ficou em pouco mais de 300 mil reais. Nas eleições deste ano também será limitado pela justiça eleitoral o número de pessoas contratadas para trabalhar na campanha, os chamados cabos eleitorais.


Foram publicadas no Diário de Justiça Eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (DJe/TSE) as tabelas atualizadas com os limites de gastos de campanha e de contratação de pessoal, conforme previsto na Resolução TSE nº 23.463/2015. 

Após publicação dos valores preliminares de gastos de campanha, o TSE atualizou os valores de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de acordo com o parágrafo 2º, art. 2º, da Resolução TSE nº 23.459/2015.

O índice de atualização dos limites máximos de gastos foi de 33,7612367688657%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2012 a junho de 2016. Para os municípios de até 10 mil eleitores e com valores fixos de gastos de R$ 100 mil para prefeito e R$ 10 mil para vereador, o índice de atualização aplicado foi de 8,03905753097063%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2015 a junho de 2016, visto que esses valores fixos foram criados com a promulgação da Lei nº 13.165/2015 (Reforma Eleitoral 2015).

De acordo com a tabela, o maior limite de gastos para campanha para o cargo de prefeito está previsto para o município de São Paulo (SP), que tem hoje 8.886.324 eleitores. No primeiro turno eleitoral, os candidatos à Prefeitura da cidade poderão gastar até R$ 45.470.214,12. Já no segundo turno, o teto de gastos será de R$ 13.641.064,24. De outro lado, os candidatos a prefeito em 3.794 municípios somente poderão gastar até R$ 108.039,00.
Para o cargo de vereador, o maior limite de gastos foi estipulado para o município de Manaus (AM), que possui 1.257.129 eleitores. Os candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal da capital do Amazonas poderão gastar, no máximo, R$ 26.689.399,64. O piso de gastos para as campanhas para o cargo de vereador ficou em R$ 10.803,91, alcançando 3.794 municípios.

Limites para contratação de pessoal

A Reforma Eleitoral 2015 também estipulou limites quantitativos para a contratação direta ou terceirizada de pessoal para prestação de serviços referentes a atividades de militância e mobilização de rua nas campanhas eleitorais, em consonância com o art. 36 da Resolução TSE nº 23.463/1995.

Segundo a Lei das Eleições (Lei n° 9.504/1997), em seu art. 100-A, parágrafo 6º, para fins de verificação dos limites quantitativos de contratação de pessoal não são incluídos: a militância não remunerada; pessoal contratado para apoio administrativo e operacional; fiscais e delegados credenciados para trabalhar nas eleições; e advogados dos candidatos ou dos partidos e das coligações.


Acesse aqui as tabelas.


Convenções partidárias têm início nesta quarta-feira no país

Partidos já podem formalizar contratos que gerem despesas e gastos. TSE divulgará o limite de valor para os candidatos de cada município.

As convenções partidárias que irão definir os candidatos a vereador e a prefeito dos 5.570 municípios do país têm início nesta quarta-feira (20). Elas devem ocorrer até o dia 5 de agosto. Vários partidos em cidades espalhadas pelo Brasil marcaram sua convenção já para este primeiro dia do prazo.
Durante o período, os partidos se reúnem para decidir também as coligações a serem formadas para o pleito deste ano.
A partir desta quarta, os partidos e candidatos já poderão formalizar contratos que gerem despesas e gastos com a instalação física e virtual de seus comitês de campanha.
Os gastos, no entanto, só serão efetivados após a Justiça Eleitoral receber o CNPJ, a conta bancária específica para a movimentação financeira de campanha e os recibos eleitorais.
Os candidatos poderão gastar um valor limitado a cada município. O TSE divulga também nesta quarta-feira o teto para cada cidade do Brasil.
Processos eleitorais
A Lei das Eleições também determina que a partir desta quarta os processos eleitorais tenham prioridade de tramitação e julgamento em relação aos demais. São exceção apenas os habeas corpus e mandados de segurança.

A lei estabelece que juízes e promotores, a partir dessa data, não podem deixar de cumprir os prazos definidos. O descumprimento constitui crime de responsabilidade e é objeto de anotação funcional para efeito de promoção na carreira.
Além das polícias judiciárias, os órgãos da Receita federal, estadual e municipal, os tribunais e órgãos de Contas auxiliarão a Justiça Eleitoral na apuração dos delitos eleitorais, com prioridade sobre suas atribuições regulares.

Sistema e enquetes
Também estará disponível nesta quarta o download, no site do TSE, do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE). A ferramenta deve ser utilizada por candidatos e partidos políticos para registrar a movimentação financeira da campanha e gerar a prestação de contas eleitoral.

Já as enquetes referentes ao processo eleitoral estão proibidas. Segundo a definição, enquete é a simples coleta de opiniões de eleitores sem nenhum controle de amostra e sem a utilização de método científico para sua realização. Esse tipo de consulta depende apenas da participação espontânea do interessado.
Já a pesquisa eleitoral, que está permitida e deve ser registrada, requer dados estatísticos realizados junto a uma parcela da população de eleitores, com o objetivo de comparar a preferência e a intenção de voto a respeito dos candidatos que disputam determinada eleição.
A divulgação de enquetes e sondagens em desacordo com as regras previstas na legislação eleitoral pode ser punida com o pagamento de multa, que varia de R$ 53 a R$ 106 mil.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

STF mantém afastado juiz maranhense que prendeu funcionários da TAM ao perder voo

baldochi
O ministro Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu liminar por meio da qual o juiz Marcelo Testa Baldochi buscava suspender decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) - tomada em abril deste ano (relembre) - que determinou a abertura do processo administrativo disciplinar (PAD) contra ele e seu consequente afastamento do exercício das funções junto à 4ª Vara Cível da Comarca de Imperatriz (MA).
No Supremo, o juiz questiona a validade do PAD aberto contra ele, sob o argumento de que o CNJ teria cometido ilegalidade ao avocar sindicância instaurada no Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA) na qual se apurava acusação de que ele teria cometido abuso de poder em benefício próprio.
O caso remonta a dezembro de 2014, quando o magistrado deu voz de prisão a dois funcionários da TAM (hoje Latam) por não conseguir embarcar em um voo que já estava com o check-in encerrado (reveja).
Em sua decisão, o ministro Barroso entendeu não existir, pelo menos em análise inicial, qualquer plausibilidade jurídica nas alegações apresentadas no MS, pois, como a avocação ocorreu em 2015, já ocorreu a decadência do direito de impetrar mandado de segurança. Independentemente de ter ocorrido a decadência, o relator considera que o CNJ poderia avocar o procedimento e citou, nesse sentido, precedente do Tribunal (MS 29925). Salientou ainda inexistir motivo para impor restrição à avocação, uma vez que o Conselho detém competência para instaurar originariamente o processo.
Quanto ao pedido de retorno às funções, Barroso destacou que a decisão que determinou o afastamento se encontra devidamente fundamentada em fatos que apontam o uso reiterado e arbitrário dos poderes de juiz para fazer valer interesses pessoais. “Isso reforça a necessidade de afastamento do impetrante da atividade judicante, além de se preservar a boa reputação e a dignidade do Poder Judiciário, já que tais condutas têm sido amplamente divulgadas na internet”, concluiu.

Escutec mostra tríplice empate técnico em Imperatriz

Captura de Tela 2016-07-17 às 15.21.08Captura de Tela 2016-07-17 às 15.21.12Pesquisa Escutec de intenções realizada na cidade de Imperatriz aponta para um tríplice empate técnico nos dois cenários estimulados levantados.
Em todos, Ildon Marques (PSB) aparece ligeiramente à frente - com percentuais entre 27,7% e 28,5% -, seguido de perto por Rosângela Curado (PDT) - 25,4% e 26,4% - e pelo delegado Assis Ramos (PMDB) - 22,6% e 23,6%.
Como a margem de erro da pesquisa é de 4 pontos percentuais, para mais ou para menos, há empate técnico entre os três.
O levantamento, contratado pelo Diretório Estadual do PMDB, foi feito entre os dias 8 e 10 de julho, com 607 entrevistados e registro na Justiça Eleitoral sob o protocolo nº MA-07269/2016. O intervalo de confiança é de 95%.

sábado, 16 de julho de 2016

PMDB decide pela pré-candidatura de Gleide Santos à prefeitura de Açailândia.

Reunião deliberativa do PMDB...

Açailândia - Em reunião deliberativa realizada na tarde de sexta-feira, ontem (15), o diretório municipal do PMDB da cidade de Açailândia decidiu, por unanimidade que o partido vai mesmo ter candidatura própria nas eleições deste ano.

A reunião aconteceu na residência do pré-candidato a vereador Wilton Lima e contou com a participação da executiva do partido, filiados, pré-candidatos a vereador, lideranças do PMDB e de outros partidos como o PR – Partido da República e PP – Partido Progressista, além, claro, da ilustre presença da vice-presidente municipal da legenda, Gleide Lima Santos, que foi a escolhida para mais uma vez disputar as eleições ao cargo majoritário em Açailândia pelo PMDB.

Durante todo o dia de ontem, o PMDB através de Gleide Santos, protagonizou inúmeras reuniões com representantes de várias siglas partidárias objetivando como sempre fazer uma campanha de políticas de alianças, onde todos terão direito às decisões que serão tomadas nas eleições que se avizinha. Através dessas conversações foi que ficou decidido pela realização de uma reunião deliberativa, na residência do pré-candidato a vereador Wilton Lima, às 16h00min, para confirmação e documentação através de ata da escolha de Gleide como a pré-candidata do partido à prefeitura de Açailândia.
Reunião do PMDB com PP e PR, aliança que pode gerar ótimos frutos
O PP – Partido Progressista foi a mais nova agremiação a firmar compromissos com o PMDB de caminhar juntos rumo às eleições de 2016. Antes o PR – Partido da República já havia mantido essas mesmas conversações. Tudo indica que PMDB, PR e PP farão uma fortíssima coligação que poderá garantir a eleição de 03 a 04 vereadores.

A reunião deste dia 15, data escolhida a dedo pelo partido, anteriormente aconteceria na residência da pré-candidata Gleide Lima Santos, às 19h30min e seria aberta a toda a população, no entanto, o PMDB surpreendeu a toda a classe política de Açailândia e de forma estratégica modificou o que antes seria uma reunião aberta, para uma reunião deliberativa e documentada – o PMDB promete realizar uma grande convenção, possivelmente, no dia 05 de agosto, pois dependerá da confirmação do ex-presidente da República José Sarney que pretende participar desse evento festivo do PMDB de Açailândia, para assim poder receber todos os seus filiados, simpatizantes, amigos e outras tantas agremiações partidárias que deverão caminhar junto nas eleições deste ano.

Assessoria.


quarta-feira, 13 de julho de 2016

Em disputa fragmentada, Câmara elege nesta quarta novo presidente

Mais de dez deputados registraram candidatura para comando da Casa. Marcelo Castro pode receber apoio do PT; Rosso é nome forte do 'centrão'.


Em uma disputa que conta com mais de dez candidatos, a Câmara elege nesta quarta-feira (12) um novo presidente, que comandará a Casa até fevereiro de 2017. A eleição se viabilizou após a renúncia ao posto, no dia 7 de julho, do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).


Réu da Operação Lava Jato, ele está suspenso do mandato desde 5 de maio, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Desde então, quem está oficialmente no comando da Câmara é o 1º vice-presidente, Waldir Maranhão (PP-MA).

O resultado da eleição é considerado crucial para o presidente em exercício da República, Michel Temer (PMDB-SP), que precisa aprovar propostas necessárias à retomada do crescimento econômico e medidas de ajuste fiscal. Até o final da noite desta terça, 14 deputados haviam registraram candidaturas.
Em um sinal de conflito na base peemedebista, o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) foi escolhido, por 28 votos 18, para ser o candidato do partido ao comando da Câmara. Embora seja do PMDB, Castro é visto como nome de oposição ao governo Michel Temer por ter sido contra a continuidade do processo de impeachment de Dilma Rousseff.
Os partidos de oposição, entre os quais PDT e PC do B, devem apoiar a candidatura do deputado peemedebista em uma estratégia que visa enfraquecer os nomes que integram o chamado “Centrão”, grupo formado por partidos que integravam a base de apoio de Dilma Rousseff e que passaram a defender o impeachment da petista.
“O PT tem uma resolução que é dialogar com partidos contrários ao impeachment, como PDT e PC do B, para construir consenso em torno de uma candidatura que represente um processo democrático. A bancada analisou os nomes que podem preencher esses requisitos e reconhece que a candidatura de Marcelo Castro ganhou. A tendência é apoiá-lo”, afirmou o líder do PT, Afonso Florence, após reunião da bancada nesta terça. 


Essa união em torno da candidatura de Marcelo Castro preocupa o Palácio do Planalto e candidatos do “centrão”, já que a disputa dentro da base de apoio está fragmentada pela variedade de candidatos. O nome considerado mais forte no “centrão” é o do deputado Rogério Rosso(PSD-DF), que passou o dia de terça fazendo corpo-a-corpo com deputados e em reuniões com bancadas em busca de votos.



No entanto, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) tenta viabilizar um amplo acordo em prol de sua candidatura entre os partidos da “antiga oposição” – PSDB, PPS, PSB e Solidariedade. A previsão é que, até o início da sessão destinada à eleição, marcada para 16h, as bancadas dos partidos realizem diversas reuniões para negociar apoios.

Para o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que também é candidato e integra o centrão, o fiel da balança para definir quem irá ao segundo turno é o PSDB, que não terá candidato próprio. "Não acho que o Marcelo Castro consiga 257 votos para se eleger no primeiro turno. Então teremos dois turnos. O fiel da balança para decidir quem vai ao segundo turno entre os candidatos que apoiam Temer é o PSDB. E, na segunda votação, as forças vão se aglutinar", disse Mansur.


Madrugada de votação
A expectativa é que a votação para presidente da Câmara entre pela madrugada, já que é esperada a realização de segundo turno. Para ser eleito em primeiro turno, um candidato precisaria obter maioria absoluta dos votos, o que é considerado inviável devido à falta de consenso e ao excesso de candidaturas.

Os parlamentares interessados em ingressar na disputa pelo comando da Casa terão até as 12h desta quarta (13) para oficializar as candidaturas. Até uma hora antes da votação – às 15h –, é permitido que os candidatos registrados desistam de participar. Qualquer deputado pode lançar candidatura. A votação é secreta e acontece pelo sistema eletrônico, onde são registrados os votos


Veja o cronograma de votação:



– 12h é o prazo final para registro das candidaturas para a eleição de presidente da Câmara.



– Até 15h os deputados poderão retirar suas candidaturas.



– 16h é o horário de abertura da sessão. A expectativa é que se leve ao menos uma hora para alcançar o quórum de votação, de 257 deputados presentes, quando será aberta a ordem do dia.



– Após a abertura da ordem do dia, cada um dos candidatos terá o direito de discursar por 10 minutos.



– Depois dos discursos dos candidatos, será iniciada a votação. Há somente 14 urnas, e a expectativa da Secretaria-Geral da Câmara é que o processo dure 1 hora e trinta minutos.



– Depois da votação, será anunciado o resultado. Para ser eleito em primeiro turno, o candidato precisa obter maioria absoluta dos votos, ou seja, se 300 deputados votarem, o candidato precisará de 151 votos para se eleger sem ir ao segundo turno.



– Em caso de segundo turno, as urnas serão preparadas para a nova votação e os dois candidatos que receberam mais votos terão outros 10 minutos para discursar. Esse intervalo deve durar pelo menos uma hora.



– Após a preparação das urnas, será iniciado processo de votação em segundo turno, que deve levar mais 1 hora e trinta e minutos.



– Com o término da votação, será anunciado o vencedor. A posse é imediata, com o candidato assumindo a cadeira de presidente. Ele possivelmente discursará e receberá discursos de felicitação em plenário.

terça-feira, 12 de julho de 2016

Fotografar vítimas mortas em acidentes de trânsito é crime e pode levar à prisão

Artigo 212 do Código Penal, disciplina essa conduta como vilipêndio a cadáver, com pena de prisão de até três anos de detenção.


Fotografar um cadáver só pelo fato dele estar em via pública não é justificado por nenhum ato acobertado por lei, pois, é contaminado de vício moral que não legítima essa atitude. Só isso basta para preencher o preceito primário do art. 212, do Código Penal, pois, guardar imagens de pessoas mortas, sem cunho científico, mas apenas por uma vontade pessoal é um procedimento penalmente punível. E se ainda divulgar a imagem guardada poderá responder civilmente pelo dano moral sofrido pelos familiares das vítimas.

A curiosidade pode ficar cara


Se o motorista parar ou estacionar o veículo em uma das faixas, mesmo que seja rapidinho para fotografar o acidente, pode perder 7 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e ser multado em R$ 191,54. Caso o motorista fique parado na pista, a infração passa ser grave, o motorista pode ser multado em R$ 127,00 e perder 5 pontos na CNH. Se o motorista estacionar no acostamento só por curiosidade também é infração, e pode ser multado em R$ 54,00 e perder 3 pontos na CNH.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

O Facebook mudará e alguém morrerá

Quem sobreviverá a esse apocalipse: a rede de Mark Zuckerberg ou sua marca?

É, o Facebook vai acabar por causa de seus próprios erros! Mentira, essa drama todo é só por causa de sua última atualização sobre alcance orgânico (e um golpe pra chamar sua atenção, confesso). Sim, ele vai acabar, um dia, mas não será agora. Logicamente todo império tem seu ocaso, uma hora acontecerá, mas virá provavelmente devido às mudanças culturais que influenciem diretamente na forma como as pessoas permanecem conectadas e não exatamente por "erros" do Facebook. Além disso, é importante lembrar que o Facebook hoje é bem maior que a rede social, assim como o Google é muito mais que um buscador.
E que erros são esses? Eles existem ou foi apenas um golpe safado para chamar atenção pro texto? Eu diria que é uma questão de ponto de vista. O "erro" do momento é uma nova mudança no algoritmo que escolhe por você o que deve ou não aparecer na sua timeline. Ele mudou e, mais uma vez, reduziu a entrega das páginas o que afeta diretamente marcas que investiram muita grana comprando fãs para poder, em tese, falar com eles.
Em meados de 2012 o Facebook entregava uma postagem em uma fanpage para cerca de 20% da base de fãs (em uma página com um bom engajamento). Antes dessa mudança a razão já era de apenas 1% ou menos. Agora, nesse momento, faço um desafio: role sua timeline e veja quantas postagens de páginas que você curtiu — ou seja, não valem promovidas ou compartilhadas por seus amigos — você encontra. Minha aposta? Você vai rolar muito o dedo pra achar uma.
Aí vem a pergunta: foi um erro?

Vamos avaliar dois pontos

a) Se eu fiquei fã de uma página é porque quero receber conteúdo dela
Faz sentido, não é? Avaliando o assunto Marcelo Vitorino publicou o seguinte pensamento no seu perfil no Facebook:
Zuckerberg considera, equivocadamente, que pessoas só publicam coisas interessantes, o que ignora o princípio Ed Motta que diz: “o mundo é fabuloso, o ser humano é que não é legal”.
Poxa, eu dei likes em várias páginas para ver o conteúdo delas, sinal do meu interesse pelo tema. Era isso que eu gostava daqui quando saí do Orkut: poder acompanhar os conteúdos das fanpages, que lá eram páginas de comunidades.
A verdade é que a maioria do conteúdo de qualidade que circula na rede social não é exatamente produzido por seus usuários (quem desenvolveu pode até ter seu perfil lá mas geralmente publica seu conteúdo em uma página, blog, site, canal ou afins). A maior parte do conteúdo de qualidade é desenvolvida por produtores de conteúdo (por iniciativa própria, até mesmo espontânea ou não planejada, ou bancado por marcas) e terminam na sua timeline porque você segue suas fanpages ou porque alguém o compartilhou. Imagine que agora a pessoa, para compartilhar, deverá ir até a fonte para buscar o conteúdo ou… esperar ser impactado porque o produtor pagou para isso.
Porém Marcelo está supondo que as pessoas querem ver conteúdo de qualidade ou ao menos que valorizam tal conteúdo ao ponto de formar opinião sobre o fato de tio Mark dizer o que ele devemos ou não ver em nossa timeline. Eu quero muito, mas muito, muito mesmo acreditar nisso mas, infelizmente, não é o que o mar de bobagens circulando nas redes me diz. E nem vou entrar no mérito de que "qualidade" é um conceito bem flexível.
A desculpa de Mark é: trata-se de uma rede social, para as pessoas se socializarem, assim daremos prioridade para elas. Mas, como disse, é uma desculpa. O motivo real é o que vamos abordar em seguida.
b) Agora, marca, você é nossa refém
Durante os últimos 5 anos as marcas investiram a maior parte de seus esforços em ambientes digitais — quando se trata de Social Media — no Facebook. Como eu já disse antes: o artista tem que ir aonde seu público está. E o público, amigos, está no Facebook. Sem terem construído alternativas, estão sujeitos às mudanças constantes na rede. Agora, se quiserem falar com alguém, terão que pagar por isso. Nada mais natural, é o modelo de negócio da rede é essa, venda de mídia, promoção de conteúdo, geração de leads, é como fazem dinheiro e, desculpa, é pra isso que existem. O papo de conectar pessoas é só a bullshitagem da propaganda atuando.
O que se discute - com motivo, porém sem razão - é o fato de o Facebook lidar com o cliente da mesma forma que um traficante lida (ao menos na cabeça romantizada da turminha). As primeiras viagens foram de graça, mas depois, ah, depois tem que pagar para brincar. É de deixar muita gente puta, verdade. Imagine as marcas que gastaram milhões comprando fãs, construíram bases imensas para "falar com eles" e agora viram todo o dinheiro jogado no lixo. O fã comprado é, basicamente, como um rebobinador de fita VHS, já serviu pra alguma coisa hoje não serve nem de enfeite, é, no máximo, uma curiosidade.

Vou lhes contar uma historinha

Em 2011 uma determinada marca possuía cerca de 80 mil fãs na sua fanpage. Era um número considerável, a marca com o maior número de fãs na época, aqui no Brasil, tinha cerca de 380 mil "apenas". A agência havia acertado no planejamento e na comunicação, os fãs percebiam a marca como uma expert em sua área e dezenas de mensagens por inboxs e comentários pediam dicas e informações — muitas de viés bem técnico — sobre a área de propriedade de tal marca. Eis que o diretor de marketing da mesma lançou uma nova demanda para a agência: queria chegar a 1 milhão de fãs até o fim do ano. Pra isso teria que gastar quase 1 milhão de reais em mídia, mas estava disposto a isso. A justificativa era fazer com que o conteúdo chegasse a mais gente, com a entrega por volta de 20 a 25% significaria falar para cerca de 200 mil pessoas por post. A verdade por trás da demanda era menos inteligente, tratava-se apenas de um campeonato de e-pênis, marcas disputando quem chegaria ao fim do ano com mais fãs. A minha é maior que a sua. Eu fui contra, por questões estratégicas — mas é assunto para outro texto, e terminaram por não fazer esse investimento. Mas e se…
Imaginem só, a marca gasta 1 milhão pensando que esse investimento vai garantir — ou permitir — que fale, em cada post, com quase 200 mil pessoas e vê, ao longo do tempo, a regra do jogo mudar tanto que hoje ele não fala com quase ninguém. O dinheiro usado pra comprar fãs foi pro lixo.
Para esse sujeito o sentimento pode ser de "me venderam um carro mágico onde o tanque nunca baixaria mais que 1/4 e, agora, de repente, eu preciso abastecer essa merda".
Esse é o motivo. Eles têm.
Mas e a razão?
Essa eles não têm.
Estava tudo lá, no termo de uso do Facebook que toda e qualquer pessoa ou marca aceita para usar a rede. Aceita e não lê. Ninguém. Eu sempre disse: qualquer jurídico que ler o termo de uso do Facebook jamais permitiria que se comprasse fã, no máximo abençoaria o uso da rede como mídia. E só.
Em nossa legislação as leis — o que inclui o código do consumidor — tem prioridade sobre um contrato entre partes, que é o caso do termo de uso. Isso, por sinal, fez com que um escritório de advocacia brasileiro começasse a estudar para mover ações contra a gigante azul, exigindo que retome o alcance do conteúdo de quando os fãs foram comprados ou que devolva o dinheiro investido e banque os prejuízos da marca com a redução de alcance. Algo maluco, diriam alguns, mas se uma das ações passa… quero nem ver.
Eden, você falou, falou, falou — ou escreveu — e não confirmou… foi ou não um erro?
FOI.
Mas não do Facebook.
Mark está certo, ele tem que explorar o potencial de sua rede para fazer dinheiro. Atrás dele estão os investidores e acionistas, com os olhos vidrados, bocas semi-abertas, babando enquanto grunhem "brainnnnns, brainnnnnns", ops, quer dizer, "moneeeeey, moneeeeey".
O erro, amigos, foi das marcas.
Marcas que apostaram TODAS as suas fichas no Facebook. Marcas que deixaram seus sites de lado (achando que agora são apenas os novos anúncios das páginas amarelas), que ignoram o poder de um blog, de explorarem outras redes, que nunca investiram um único real em B.I. ou análise de dados, que não entendem como se comportam seus consumidores, que nunca investiram em PR ou em criar ferramentas e canais próprios para falar com eles.
Erradas estão as marcas que gastaram dinheiro reformando um apartamento emprestado por um "amigo" pra depois ficar chorando porque ele pediu de volta.
Não, o Facebook não vai "morrer" por conta dessas mudanças, são as pessoas que geram valor para ele, como audiência, são elas que ele precisa "agradar". Enquanto a audiência existir e a tecnologia de entrega mídia do Facebook continuar evoluindo, tornando-se mais e mais eficaz, o dinheiro vai fluir. E seguirá sendo fundamental em muitas das estratégias criadas. As marcas vão continuar "chateadas" mas vão seguir ali, ao menos usando como veículo, mesmo que "abandonem" como ambiente social.
Mas, uma vez que decida abandonar o Facebook como central de publicação de conteúdo e relacionamento o que uma marca pode fazer? Onde pode ir? Quais as opções?!
Se você é uma marca e não tornou-se e nem quer se tornar uma vítima da síndrome de Estocolmo eu tenho uma boa notícia: há jeito de ser resolver isso, não a curto prazo, mas a médio prazo, reduzindo a dependência do Facebook para sua estratégia.
Quer saber mais?

Pergunte-me como.
Quem sou eu? Um publicitário que atua no planejamento e criação de estratégias de comunicação para marcas e pessoas, ajudando-as a extrair o máximo de suas presenças digitais. Faço isso com a ajuda da fantástica equipe da Cumbuca, uma agência que acredita as fronteiras sumiram e que já não há divisão entre o on e o off. Você pode me seguir aqui, no Twitter ou no Linkedin pra saber mais sobre o que penso de comunicação.
Se gostou, dê like e compartilhe, faça o texto ir mais longe :)
Artigo publicado originalmente no Medium do autor e cedido gentilmente ao Administradores.com.