quarta-feira, 25 de novembro de 2020

UMA NOVA VIA: Projeto Mulheres no Legislativo pode levar uma vereadora à presidência da câmara.

 

Ao longo dos 39 anos de emancipação política da cidade de Açailândia, apenas 11 mulheres ocuparam o cargo de vereadora na câmara de Açailândia – a última presidenta foi a saudosa vereadora Lenilda Costa.

Com o apoio do Projeto Mulheres nos Legislativo, Açailândia conseguiu eleger no último dia 15 de novembro, três mulheres, portanto, o município tem a possibilidade de mais uma vez ter uma mulher na presidência - Robênia, Bernadete e Thaís estão colocando seus nomes à disposição para serem avaliados pelos seus colegas vereadores.

Dizem que mulheres não são unidas e que uma não apoia a outra, mas pelo que se foi observado na entrevista que elas concederam a Jornalista Marly Alves, estão mais unidas do que nunca e prontas para mais um desafio – aguardar pra ver.

POSSE

A Câmara Municipal reunir-se á em sessão preparatória, a partir de 1º de janeiro do primeiro ano da legislatura, para a posse de seus membros, sob a presidência do Vereador mais votado, no caso Demazin eleito com 1.298 votos.

Se houvesse um empate, o mais idoso entre os presentes presidiria a sessão, os demais Vereadores prestarão compromisso e tomarão posse, cabendo ao Presidente prestar o seguinte compromisso:

 “Prometo cumprir a Constituição Federal, a Constituição Estadual e a Lei Orgânica Municipal, observar as leis, desempenhar o mandato que me foi confiado e trabalhar pelo progresso do Município e bem-estar de seu povo”.

O Vereador que não tomar posse na sessão prevista neste artigo, deverá fazê-lo no prazo de quinze dias, salvo motivo justo aceito pela Câmara Municipal.

 

No ato da posse, os Vereadores deverão desincompatibilizar-se e fazer declaração de seus bens, sendo esta transcrita em livro próprio, resumido em ata e divulgada para o conhecimento público.

A ELEIÇÃO DA PRESIDÊNCIA

Imediatamente após a posse, seguir-se-á eleição da Mesa Diretora da Câmara sob a direção do Vereador mais votado ou que mais recentemente tenha exercido o cargo de Presidente na Mesa.

O vereador será eleito presidente, obtendo maioria simples em uma votação aberta – há quem diga que o regimento interno da câmara já teria sido modificado, para que a eleição aconteça em uma votação secreta.

O mandato da Mesa Diretora será de 02 (dois) anos, permitida a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente.

Há hipótese de não haver número suficiente para eleição da Mesa, e, nesse caso, o vereador que se encontrar na presidência dos trabalhos convocará sessões diárias, até que a mesma seja eleita.

Com informações de Marly Alves.

terça-feira, 24 de novembro de 2020

ELEIÇÃO NA CÂMARA DE AÇAILÂNDIA: Três Mulheres, nove homens e um DESTINO

 

Sem desmerecer QUALQUER vereador eleito ou reeleito, mas o nome do vereador Adjackson é o mais próximo de um consenso e um final menos frustrante para este filme.

A eleição da câmara de Açailândia muito se parece com um roteiro de filmes, a ordem é seguir um plano como se não tivesse nada a perder – sinopse do filme: 12 homens e um novo segredo.

A política e o filme quando não se completam, no mínimo se confundem – é o que está acontecendo no entorno das discussões e namoros secretos das eleição para a escolha da nova mesa diretora e o novo presidente da câmara de Açailândia, que irá gerir nos próximos dois anos quase 20 milhões de reais.

O final dos filmes são escritos acompanhando as gravações de cada capítulo e o autor é que decide qual será o seu final – no caso da eleição da câmara de Açailândia sabemos o que pode acontecer mesmo antes do último capítulo – é o destino da cidade de Açailândia nas mãos de novos autores, os vereadores (as) – são 12, como no filme, 12 homens e um novo segredo.

Encontrar um consenso é a mesma busca de um final feliz para este filme, que sai da ficção científica e entra na realidade do que já foi escrito e vivido em passado recente.

Daqui a pouco os comentários que tomarão as redes sociais é que o blog está sendo pago para lançar o nome do vereador Adjackson – e, isso só acontece porque nossa imprensa possui uma tabela de preços encrustada nas suas consciências.

A defesa da corrupção em Açailândia são os ataques àqueles que as combatem, em sua maioria invencionices, mas que agradam seus financiadores.

Voltando ao nosso assunto principal, a população precisa ficar atenta, pois a eleição da câmara pode ser simplificada – está nas mãos de 03 mulheres e 09 homens – unidos são imbatíveis.

Simples assim.

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

ELEIÇÕES 2020: A estranha vitória de Lúcio em Itinga do Maranhão. A máquina falou mais alto no dia "D".

 

Lúcio agora terá uma nova Batalha, provar na justiça que não fez propaganda antecipada e tentou burlar o processo eleitoral, ação de improbidade e propaganda ilegal continuará tramitando.

Os dias que antecederam o dia da eleição, em nenhum momento mostrou uma vitória de Lúcio, uma segunda colocação era o pódio mais alto, no entanto, em Itinga do Maranhão, na reta final, mais uma vez a máquina falou mais alto – Itinga tem por tradição reeleger seu prefeito ou prefeita – o perfil do eleitor é o de sempre seguir seu mandatário.

O candidato Bila que começou a campanha ocupando a terceira colocação, foi o que mais subiu na vontade popular, mesmo com a tentativa dos outros dois candidatos em buscar a polarização e decidir o pleito no dia da eleição, nas famosas bocas de urnas – isso é histórico em Itinga do Maranhão.

Luis Bila com propostas viáveis, propostas de mudanças, em nenhum momento se deixou desgarrar dos seus adversários e na última semana da campanha chegou a primeira colocação com 4% a frente de Lúcio e 8% a frente de Vete Botelho.

A estratégia da campanha de Lúcio passou então a de usar a máquina para cooptar eleitores de Bila, que caíram no “Canto da Sereia” e o eleitor esqueceu de tudo que lhe foi apresentado de verdadeira mudança para os próximos 04 anos para Itinga do Maranhão.

No dia da eleição a MÁQUINA CANTOU, e cantou alto – e Lúcio é reeleito prefeito de Itinga do Maranhão.

ELEIÇÕES 2020: A baixa votação de Dogival Correia não mostra o verdadeiro pensamento do eleitor de São Francisco do Brejão no dia da eleição.

 

Segundo a maioria dos cientistas político, em todas as eleições acirradas e polarizadas como a deste ano, em São Francisco do Brejão, a tendência é de o eleitor votar, estrategicamente, não no candidato mais honesto, que tenha mais propostas viáveis, e, principalmente com o qual se identifica, acaba escolhendo um nome que não seja o seu preferido, com o intuito de impedir que um outro candidato seja eleito.

Em São Francisco do Brejão a eleição virou uma partida de futebol, um clássico FLAMENGO X VASCO, esse tipo de voto deve ser levado em conta no processo eleitoral, ao abandonar seu candidato preferido, o eleitor vai falsear o resultado final das eleições – não deu outra, Dogival tirou uma votação pífia – o que não representa a verdadeira vontade do eleitor, pois muita gente saiu de casa com vontade de votar em quem tinha propostas, mas quando saiu às ruas sentiu o clima da disputa e mudou seu voto, transformou o voto consciente, em VOTO ÚTIL.

O período eleitoral é o momento em que os ânimos políticos ficam mais exaltados. O ambiente contaminado por polarização e desinformação prejudica o bom debate e fica difícil conversar, compartilhar perspectivas e haver abertura para mudança de opinião.

Não é possível entender o atual contexto político, incluindo os retrocessos democráticos, sem considerar como polarização, fake news e discursos de ódio que se retroalimentam, nutrindo estereótipos que promovem hostilidade, diminuem a confiança no diálogo e em soluções negociadas para problemas coletivos – o eleitor esquece tudo isso, em nome da disputa acirrada e do velho ditado, não vou perder a eleição, vou votar em que pode ganhar.

Dogival entrou em uma disputa eleitoral muito polarizada, em um “fogo cruzado”, mas mesmo assim tentou passar ao eleitor que o poderio financeiro dos candidatos não é o que define uma boa gestão de 04 anos.

Dogival, mesmo com uma pequena votação, sai fortalecido desta eleição, pois não se vendeu, não desistiu, foi fiel ao seu povo e aos seus propósitos de honestidade.

“Respeitamos a decisão do eleitor, isso é democracia. Parabéns ao vencedor e que Deus ilumine nossos caminhos com muita paz, prosperidade e vidas longas”, disse Dogival ao Blog.

EXCLUSIVO: Em Açailândia 09 vereadores foram eleitos por atingir o “Quociente Partidário” outros 08 ficaram nas chamadas “Sobras”. ENTENDA OS CÁLCULOS!!!

 

É comum que alguns eleitores e até mesmo candidatos e políticos que não conheçam muito bem o processo eleitoral brasileiro, e sempre se questionam quando um candidato recebia mais votos e mesmo assim não era eleito, enquanto a vaga ficava com um político menos votado. A coisa já mudou um pouco, basta pegar como exemplo a disputa no PSDB entre o vereador eleito Kel com 832 e Sirley Mototáxi não eleito com 830 votos – a diferença foi só de 2 votos – mas quem levou foi o mais votado.

Tivemos um caso exemplar nas eleições de 2016, na cidade de Açailândia – com 1.250 votos o candidato do PSD Demazim, foi o 5º mais votado e não se elegeu, enquanto que o vereador Zelito que obteve apenas 791 votos e foi o 20º na votação geral, conseguiu sua eleição.

Mas eu vi e ouvi dizer que nestas eleições quem tivesse mais voto é que seria eleito, isso é puro blá, blá, blá? 

Nem tanto, pois mesmo nas eleições deste ano isso voltando a acontecer, o novo sistema já foi muito mais igualitário – um fato emblemático foi a disputa no PSDB entre o vereador eleito Kel com 832 votos e o não eleito Sirley Mototaxi com 830 – a diferença foi de apenas 2 votos, quem levou foi o mais votado – houve avanço sim.

Vamos saber como seu vereador foi eleito? Quem foi eleito por atingir o Quociente Partidário e quem foi eleito nas chamadas sobras?

Primeiro precisamos entender o que é esse famoso QUOCIENTE ELEITORAL, segundo o Código Eleitoral Brasileiro.

Determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo de lugares a preencher em cada circunscrição eleitoral, desprezada a fração se igual ou inferior a meio, equivalente a um, se superior — (Código Eleitoral, art. 106).

VAMOS ENTÃO ENTENDER COMO O SEU VEREADOR FOI ELEITO

Nas eleições que aconteceram domingo, em Açailândia, o comparecimento às urnas foi 57.549 eleitores, destes, segundo o TSE os votos válidos foram 55.661, divergente do TSE os dados do blog foram de 55.641 votos válidos – 939 votos foram nulos e 949 eleitores votaram em branco.

Para os cálculos do quociente eleitoral pegamos somente os votos válidos e dividimos pela quantidade de vagas em disputas, ou seja, 17 cadeiras parlamentares disponíveis. Dessa forma vamos obter o resultado do quociente eleitoral: 3. 273.

Qe = Vv ÷ C

Qe (Quociente eleitoral) = Vv (Votos válidos) ÷ C (Cadeiras)

Como calcular o quociente partidário

Após calcular o Qe, passamos a fase de calcular o quociente partidário, resultado que vai definir o número de cadeira disponíveis para o partido ou coligação. Para isso, divide-se o número de votos recebidos pelo partido ou coligação pelo quociente eleitoral.

Pegamos como exemplo pegamos o partido Democrata que alcançou o maior número de votos e elegeu o maior número de vereadores, em um total de 7.765 votos, dividindo pelo quociente eleitoral (3.273) significa que ele teve direito a 2 vagas parlamentar e ainda conseguiu mais 1 vaga nas sobras.

Qp = Vp ÷ Qe

Qp (Quociente partidário) = Vp (Votos do partido ou coligação) ÷ Qe (Quociente eleitoral)

Distribuição de sobras / Método das médias

Mesmo após a aferição do quociente eleitoral e partidário é possível que algumas vagas não sejam preenchidas, no caso das eleições de Açailândia, pelo quociente partidário foram eleitos 9 vereadores e pelas sobras foram eleitos 08.

O método de distribuição dessas sobras é um pouco complicado, portanto, traremos um post exclusivo para tratar desse assunto.

Abaixo tabelas de distribuição de votos por partido e quais vereadores foram eleitos pelo QP e quem foi eleito nas chamadas sobras:

Votos conquistados por cada partido

 

  • DEM 7.765 13,95%
  • REPUBLICANOS 6.444 11,58%
  • PSD 5.824 10,46%
  • PL 5.696 10,23%
  • PP 5.263 9,46%
  • PSDB 5.066 9,10%
  • PDT 4.241 7,62%
  • PTB 3.319 5,96%
  • PODE 3.107 5,58%
  • PT 2.223 3,99%
  • MDB 2.186 3,93%
  • PSC 1.684 3,03%
  • PSL 968 1,74%
  • CIDADANIA 536 0,96%
  • PSB 508 0,91%
  • DC 313 0,56%
  • PSOL 262 0,47%
  • PRTB 235 0,42%

Fonte: TSE



terça-feira, 17 de novembro de 2020

Ambiente Contaminado: Renovação de 71% não é garantia do fim dos escândalos de corrupção na câmara de Açailândia.

 

Com o vereador Ceará reeleito, principal personagem pelos escândalos de corrupção no Legislativo de Açailândia nos últimos 04 anos, não há muita esperança de mudanças deste cenário – o primeiro teste dos novos eleitos é a escolha do novo presidente da câmara – nos bastidores já rola que o vereador Ceará já fez uma visitinha a jovem vereadora Thaís Brito, eleita pelo PDT.

Agora começa uma nova eleição e essa, com certeza, não é nem um pouco menos importante do que a escolha do prefeito que vai administrar nosso município pelos próximos 04 anos – em uma eleição indireta será também escolhido o novo presidente da câmara que vai gerir o dinheiro público, na ordem de quase 20 milhões de reais pelos próximos dois anos.

Como citei no nosso subtítulo, o vereador Ceará, principal personagem dos escândalos de corrupção na câmara de Açailândia nos últimos 04 anos, já começou suas incursões – a primeira que teria sido visitada esperto vereador, segundo especulações de bastidores, teria sido vereadora eleita pelo PDT Thaís Brito – Ceará pode ter percebido que a falta de experiência de Thaís é ponto chave para a conquista de um voto ou até mesmo cooptações – ele foi um maestro nisso em um passado bem recente.

A vereadora eleita Thaís Brito é de família tradicional de Açailândia e fez uma belíssima campanha, mas é jovem, vaidosa e marinheira de primeira viagem na política, precisa ser bem assessorada, principalmente pela família – o poder inebria até os fortes.

Vamos relembrar

Quem não se lembra do sorriso estampado no rosto de jovens recém-eleitos vereadores, ao adentrar na câmara de mãos dadas declarando seu voto ao ambicioso vereador Ceará – esses meninos chegaram a ficar em confinamento em resort de Imperatriz.

Esse grupo de jovens vereadores contaminados logo no início do mandato por “Velhas raposas”, totalizados em um número de 10, mesmo Ceará sob investigação do MP, acusado de desvio dos recursos da câmara, o reconduziram a um novo mandado de presidente, dando uma tapa na cara da sociedade – o eleitor deu o troco e a maioria deles perdeu a eleição no último domingo, dia 15 – no entanto o Legislativo Mirim ainda continua contaminado 05 vereadores foram reeleitos, inclusive o Ceará – partes deste estavam na comitiva dos 10 que foram confinados e adentraram na câmara abraçados para eleger Ceará presidente.

Cabe aqui alguns questionamentos: porque o eleitor não fez também a sua parte, não reelegendo também o vereador Ceará? Será que o eleitor não está querendo testar esses novos vereadores? O recado já foi dado!

Primeiro Teste

O eleitora e toda a sociedade que foi às ruas, que foi às urnas, buscando uma “Nova Política”, precisam estar atentos e cobrar dos vereadores ao qual deram seus votos de confiança – cobrar desse novos vereadores e àqueles que ainda conseguiram um novo mandado, mais seriedade com o erário público e principalmente, honestidade – toda a sociedade tem conhecimento dos acordos espúrios que giraram em torno das eleições da câmara municipal de Açailândia, nas duas últimas eleições, e é claro que isso é impossível provar, mas sabemos que existiu.

Aos novos vereadores e àqueles que conseguiram um novo mandato, a eleição da escolha do novo presidente da câmara e de toda a mesa diretora é o primeiro grande teste – será que veremos outras cenas lamentáveis de confinamentos em resort’s e a entrada triunfante em torno de propósitos espúrios?

Um nova Açailândia é responsabilidade de toda a sociedade!

Simples assim.

*CORRIGIDO ÀS 15:54

Onde se leu 2 milhões pelos próximos 2 anos, leia-se 20 milhões.

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Com 23.586 votos Aluísio é reeleito prefeito de Açailândia.

 

O atual prefeito de Açailândia assumiu um “mandato tampão” em agosto de 2019, após a renúncia do prefeito eleito Juscelino Oliveira e foi reeleito ontem com 43,16% dos votos válidos, contra 38,98% do seu principal oponente, Dr. Benjamim de Oliveira.

 

A equipe de campanha do principal oposicionista do atual prefeito, Dr. Benjamim, focou toda a sua campanha em peças publicitárias que pudessem desqualificar a imagem do atual prefeito Aluísio, principalmente, na tentativa de alinhar a imagem do atual com a imagem desgastada do ex-gestor – não colou.

 

Outra estratégia fracassada do grupo que perdeu as eleições ontem, dia 15, foi na reta final da campanha divulgar pelo menos 02 pesquisas que não condiziam com a realidade das ruas – foi o “Gran Finale” – outro fracasso, pois no dia que antecedeu o dia da eleição a campanha de Aluísio realizou a maior carreata da história política de Açailândia, mostrando o verdadeiro sinal do eleitor nas ruas e que seria levado para as urnas.

 

A Estratégia de Campanha de Aluísio

 

Além de mostrar muito trabalho e muitas obras na prática em todo o período de pré-campanha, obras essas que eram desqualificadas pela campanha de Benjamim, como obras eleitoreiras, as peças publicitárias de Aluísio foram primordiais para sua vitória na data de ontem.

 

As peças de Aluísio buscaram do início ao fim da sua campanha, tocar no emocional do eleitor, mostrando a humildade do candidato e a sua força nas tomadas de decisões, principalmente na escolha do seu vice, dizendo não à “Velha Política”.

 

As tomadas de decisões de Aluísio possibilitou a aglutinação de uma enorme camada da sociedade, que nunca participou diretamente de eleição e que na análise de muitos, não tem voto, os empresários – aquela ladainha de empregado não vota em patrão caiu por terra, pois a participação desses empresários, como também pecuaristas e outras tantos que produzem e geram emprego na cidade, pode ter sido grande fiel da balança dessas eleições.

 

É claro, que nesse momento todos querem ser o pai da criança, no entanto, na minha humilde opinião não há um responsável pela vitória de Aluísio, há uma série de fatores importantes que precisam ser estudados para novas disputas eleitorais.

 

Simples assim.

Veja quem foi eleito, reeleito e quem vai disputar o 2º turno nas capitais

 

Em um acontecimento raro, o domingo de primeiro turno das eleições municipais terminou com atraso na divulgação de resultados oficiais em diversas cidades. Na internet, a demora, causada por um problema na divulgação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), gerou teorias da conspiração.

Segundo o tribunal, houve uma falha com o processador na divulgação dos resultados em Brasília. O órgão explicou que isso não afetou a consolidação dos votos, mas parte dos usuários das redes sociais preferiram acreditar em suposições.

Ao todo, 17 capitais irão eleger seus prefeitos no segundo turno que acontece no próximo dia 29. Outras nove capitais reelegeram seus atuais chefes do executivo e apenas uma capital elegeu um novo prefeito neste domingo.

Bruno Covas (PSDB), 40, e Guilherme Boulos (PSOL), 38, disputarão, daqui a duas semanas, o segundo turno da eleição na capital paulistana.

Já na disputa pela Prefeitura do Rio, Eduardo Paes (DEM) entra no segundo turno com vantagem contra o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).

No Recife a disputa pelo cargo de prefeito no segundo turno promete ser acirrada entre os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT).

O deputado federal Eduardo Braide (Podemos) vai disputar o segundo turno da eleição em São Luís contra o deputado estadual Duarte Júnior (Republicanos).

Manuela D'Ávila (PCdoB) e Sebastião Melo (MDB) vão disputar o segundo turno para a Prefeitura de Porto Alegre. A candidata deve enfrentar com pouco apoio de adversários o pleito no próximo dia 29.

Amazonino (Podemos) e David Almeida (Avante) vão disputar o segundo turno pela Prefeitura de Manaus. Os dois lideraram as pesquisas das intenções de voto desde o início da campanha.

Com 34,01% dos votos, o atual prefeito Hildon Chaves (PSDB) vai disputar com Cristiane Lopes (PP), que obteve 14,32%, o segundo turno pela Prefeitura de Porto Velho.

capital do Piauí, Teresina, terá segundo turno entre Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB).

O deputado estadual Sarto (PDT) fará o segundo turno contra o deputado federal Capitão Wagner (PROS) em disputa pela Prefeitura de Fortaleza.

segundo turno das eleições à Prefeitura de Vitória será disputado por Delegado Pazolini (Republicanos), que obteve 30,95% dos votos, e João Coser (PT), com 21,82%.

Edmilson Rodrigues (PSOL) e Delegado Federal Eguchi (Patriota) vão disputar o segundo turno pela Prefeitura de Belém.

Em uma das capitais do país com o maior número de candidatos, João Pessoa terá segundo turno entre Cícero Lucena (PP) e o Nilvan Ferreira (MDB).

Atual vice-prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique (MDB) e Ottaci Nascimento (Solidariedade) vão disputar o segundo turno do município.

Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD) vão disputar o segundo turno pela Prefeitura de Goiânia. Os dois estiveram empatados em primeiro lugar em pesquisas das intenções de voto desde o início da campanha.

Abílio Júnior (Podemos) e o atual prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) vão disputar o segundo turno pela Prefeitura de Cuiabá.

Tião Bocalom (PP) e Socorro Neri (PSB) vão disputar o segundo turno pela Prefeitura de Rio Branco. Neri tenta a reeleição na capital do Acre.

Edvaldo (PDT) e Delegada Danielle (Cidadania) vão se enfrentar no segundo turno em disputa pela Prefeitura de Aracaju. Edvaldo tentará sua reeleição na capital sergipana frente a Danielle, que concorre pela primeira vez.

O advogado Gean Loureiro (DEM), 48, foi reeleito prefeito de Florianópolis, ao receber 53,44% dos votos (126.144 segundo o TSE).

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), confirmou seu favoritismo e foi reeleito em primeiro turno para mais quatro anos à frente da prefeitura da capital de Minas Gerais.

Rafael Greca (DEM) foi reeleito prefeito de Curitiba com 59,74% dos votos. Será a terceira vez que Greca comandará a capital paranaense.

A família Trad continua no poder na capital de Mato Grosso do Sul. Marquinhos Trad (PSD) foi reeleito para a Prefeitura de Campo Grande.

Álvaro Dias (PSDB) foi reeleito prefeito de Natal. Tal feito foi possível pelo apoio de uma ampla coligação, que incluiu ainda MDB, Avante, PL, Republicanos, Rede, Democratas e PSD.

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

Bila realiza a maior reunião da história política de Itinga do Maranhão

 

Na gigantesca reunião que virou um megacomício, realizada ontem, dia 12, na Vila São Sebastião, vale destacar os discursos de Quininha e Edinho do Posto, pois emocionaram o eleitor pela sinceridade e firmeza, o que consolida ainda mais a certeza da Vitória de Bila, a certeza da verdadeira mudança, no domingo, 15 de novembro.

A campanha deste ano atraiu em praticamente todos os municípios do Brasil, a maior participação de empresários que jamais haviam participado de campanhas políticas – isso mostra que esse empresário resolveu sair da sua zona de conforto e entendeu que se as pessoas de bem não participarem da política, vai sempre deixar espaços para a “Velha Política”, a política de conchavos que comprometem o crescimento do seu município.

Um dos maiores exemplos é a participação efetiva de Edinho do Posto na campanha de Bila em Itinga do Maranhão – empresário que chegou em Itinga do Maranhão com 16 anos, mas que nunca participou diretamente de uma campanha política.


A visão de Edinho, empresário de sucesso, deixa muito claro ao eleitor que o nome de Bila é o nome certo para colocar Itinga do Maranhão de volta aos eixos do desenvolvimento, mudando de vez a forma de fazer política na cidade – colocando em prática uma mandato compartilhado, em que a participação da população, desde aquele empresário de maior sucesso, até aquele cidadão e cidadã mais humilde é muito importante para aplicação das políticas públicas.

Quininha que já contribuiu muito para o desenvolvimento de Itinga e que deixou saudades, principalmente, pelo desastre que foram os 08 anos da gestão de Vete Botelho e 04 anos de Lúcio, é hoje peça fundamental para a vitória de Bila.

Não menos importante foi a participação do “POVÃO”, e, muitos outros políticos e candidatos a vereador que aderiram à campanha de Bila, pois acreditam na grande mudança que será realizada na cidade de Itinga do Maranhão.

Última grande reunião

O que chamamos de reunião, que se transformou em um megacomício, foi o último grande ato político das eleições em Itinga do Maranhão, pois intermediado pelo MP Eleitoral e acordado por todas as coligação, por medida de segurança, não haverá mais nenhum ato político de grande volume na cidade de Itinga do Maranhão, nos dias 13 e 14, sexta e sábado, dias que antecedem o grande dia da eleição.

A grande reunião de Bila, literalmente invadiu a Vila São Sebastião, na Rua da Mantena e vai ficar para a história política de Itinga do Maranhão, firmando de vez a vitória no domingo, dia 15 de novembro.



quinta-feira, 12 de novembro de 2020

BOM JESUS DAS SELVAS - MPMA faz mediação de acordo entre candidatos a prefeito para evitar acirramento de apoiadores

O Ministério Público do Maranhão, por meio do titular da Promotoria de Justiça da 95ª Zona Eleitoral, em Buriticupu, realizou, na manhã desta quinta-feira, 12, uma reunião com os candidatos ao cargo de prefeito de Bom Jesus das Selvas, Cristiane Trancoso de Campos Damião e Luís Fernando Lopes Coelho, para tratar da situação de intranquilidade no município, em virtude do acirramento entre os apoiadores na disputa eleitoral.

Por conta do clima de tensão no município, foi firmado um acordo entre os candidatos para cancelar carreatas e caminhadas já agendadas, bem como comemorações após o resultado das eleições. O comandante do 30º Batalhão da Polícia Militar, Major Anderson Barbosa Lima, assegurou a concentração de maior efetivo no município de Bom Jesus das Selvas, que é termo judiciário da Comarca de Buriticupu, para garantir a tranquilidade do pleito. 

O promotor de justiça eleitoral José Frazão Menezes Neto, que conduziu a reunião, destacou sua preocupação com a situação, ressaltando que os atos de campanha devem ser realizados com absoluta atenção às questões de segurança, bem como comunicados aos órgãos de segurança pública em tempo hábil, para permitir a avaliação da polícia quanto à necessidade de reforço ou deslocamento de contingente.

“Em caso de incidentes decorrentes de confrontos, sobretudo quando previsíveis, a situação será devidamente apurada, inclusive com relação à eventual responsabilização dos dirigentes, vez que a estes cabem a definição do local, trajeto, estimativa de participantes e, sobretudo, o tom da campanha”, ressaltou.

O acordo firmado pelos candidatos foi registrado em ata, finalizando-se a reunião com a presença do juiz eleitoral da 95ª zona eleitoral, José Pereira Lima Filho, que congratulou a iniciativa do Ministério Público Eleitoral, bem como a postura das partes em chegar espontaneamente a um acordo, deixando claro, no entanto, que a fiscalização do pleito eleitoral será realizada com a firmeza necessária.

Também participaram da reunião Flávio Alves Rocha Rodrigues e Josué da Conceição Nascimento, representantes das respectivas coligações, acompanhados dos advogados Aron José Soares Morais e Fernando Lopes Rodrigues.

Redação: CCOM-MPMA