sexta-feira, 6 de novembro de 2020

ELEIÇÕES 2020: E dá-lhe “Fake News” contra o candidato Aluísio Sousa

 

Após realizar na data de ontem, dia 05, a maior caminhada da história política de Açailândia, Aluísio é mais uma vez alvo de “Fake News” nas redes sociais.

Faltando 09 dias para a eleição, a ordem é disparar todos os tipos de acusações contra o candidato Aluísio que seguindo os prognósticos eleitorais já se encontra bem a frente de seus oponentes e deve confirmar dia 15 de novembro sua reeleição à prefeitura de Açailândia.

Sem propostas viáveis e cada vez mais distante do povo, cabe somente aos oposicionistas, o ataque, o que essa turma não sabe é que o eleitor não cai mais nessa onda – o eleitor quer que o candidato mostre seus feitos e o que tem pra fazer nos próximos quatro anos.

Os ataquse se renovaram na manhã de hoje, dia 06 de novembro, data que precede a maior caminhada política já realizada no Centro de Açailândia – uma multidão tomou conta das ruas consolidando de vez a candidatura de Aluísio rumo a uma vitória no dia 15 de novembro.

VAMOS AOS FATOS

Diferente do que estão espalhando nas redes sociais (FAKE NEWS), Aluísio deu sim o reajuste ao piso salarial de 12,4%, o mesmo reajuste dado pelo governo Bolsonaro. Só que seguindo as preocupações anotada pela Confederação Nacional dos Municípios, o prefeito Aluísio, concedeu o reajuste nacional total de 12,4% aos professores concursados de 25 horas, e, um diferente reajuste (acima da inflação) aos profissionais concursados de 40 horas, pois estes profissionais ao longo do tempo já haviam alcançado o piso nacional.

Com isso de forma justa, o prefeito Aluísio atualizou e equiparou o salário de todos os profissionais da educação, pois entende que o merecimento de cada um possui igual importância.

VEJA A NOTA DA CNM

O Piso Nacional do Magistério deve passar de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,15 em janeiro de 2020 – um reajuste de 12,84%. A estimativa foi feita pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) com base em portaria publicada pelo governo federal no dia 23 de dezembro. A entidade reconhece a necessidade de valorização desses profissionais – fundamentais para o desenvolvimento do país –, mas alerta para os graves impactos à gestão da educação e às finanças municipais, que totalizam mais de R$ 8,7 bilhões.

Isso porque – pelos critérios atuais de reajuste, em que não há preocupação com as fontes de custeio – o crescimento do piso é muito acima da inflação ou de qualquer outra correção. Dessa forma, de 2009 até 2020, o aumento salarial para a categoria foi de 203,61%, enquanto o salário mínimo no mesmo período, por exemplo, teve reajuste de 121,7%.

Nenhum comentário: